“Estar na frente não vai tirar-nos lucidez”, garante Rui Vitória

Benfica pode obter em Chaves a 15.ª vitória consecutiva fora de portas.

Foto
O Benfica ocupa o primeiro lugar Patrícia de Melo Moreira/AFP

Há um recorde ao alcance do Benfica em Chaves: se vencer na visita (sábado, 18h15, SP-TV1) à recém-promovida equipa orientada por Jorge Simão, os “encarnados” atingem a 15.ª vitória consecutiva fora de casa, em jogos do campeonato, e igualam a marca estabelecida por Jimmy Hagan entre Abril de 1972 e Fevereiro de 1973.

Mas isso não é algo que ocupe o pensamento de Rui Vitória. “Não estamos preocupados com o que quer que seja de recordes. O próximo jogo é o Chaves, são três pontos em disputa e é isso que nos foca. Só penso no Paulinho, no Perdigão, no Nélson. Conheço-os a todos, conheço o treinador. Em todos os campos vamos com esta postura: respeito pelo adversário mas sempre com vontade de ganhar”, sublinhou o técnico, na antevisão da partida de sábado.

Os flavienses são a única equipa, para além do Benfica, ainda sem derrotas no campeonato. Motivo para Rui Vitória prever um jogo “interessante”. “Vai ser um jogo difícil, contra uma boa equipa. O Chaves está a trabalhar bem neste início de temporada, reforçou-se com muito critério. O treinador e toda a estrutura pensaram bem a equipa. Começaram muito bem o campeonato. A grande maioria dos jogadores está numa fase de maturação boa para competir e estão motivados por receber o Benfica. São organizados do ponto de vista defensivo. Tenho a convicção que o Chaves vai querer ganhar-nos”, previu.

Não há na equipa “encarnada” qualquer excesso de confiança por ocupar o primeiro lugar da classificação, garantiu o treinador do Benfica. “É uma fase muito inicial do campeonato, ainda muita coisa vai passar-se. Estamos satisfeitos por estar na frente, mas isso não vai tirar-nos a lucidez. Pensamos jogo a jogo, passo a passo. A cada dia sentimo-nos cada vez mais fortes. Já o disse e vou repetir: ninguém é campeão à quinta jornada”, reiterou Rui Vitória.

“Só me preocupa a minha equipa, quase nem olho para os outros. Preocupa-me o Benfica, o Benfica e o Benfica, ponto final. Não demos uma excessiva importância pelo facto de estarmos no primeiro lugar. É algo que nos pode acontecer, porque jogamos em todos os jogos para ganhar. As nossas rotinas de trabalho não foram alteradas em nada pelo que se passou na semana passada. Não tenho de estar com essa preocupação porque no trabalho diário os meus jogadores têm feito tudo bem. Há um pleno clima de normalidade”, prosseguiu o técnico.

Quanto à lista de lesionados – onde neste momento constam os nomes de Jonas, Jiménez, Rafa Silva, Jardel, Samaris e Danilo – o treinador do Benfica revelou que nenhum dos indisponíveis recuperará para a visita a Chaves. “Vamos ter uma janela de transferências em Outubro, quando os jogadores que estão lesionados entrarem como reforços. Somos um dos poucos clubes do mundo que tem este privilégio”, gracejou o técnico em jeito de conclusão.