DR
Foto
DR

Ela tem 15 anos e um sonho: um emoji de uma mulher com véu

A proposta de incluir mulheres com véu nos emojis surgiu da jovem muçulmana Rayouf Alhumedhi, que usa há dois anos o "hijab"

Desde que os “emojis” se tornaram símbolos indispensáveis na comunicação por texto — onde a falta da presença física exige uma outra possibilidade de demonstrar emoções — a procura por novos ícones não param de surgir. A proposta mais recente é a da jovem muçulmana Rayouf Alhumedhi, que deseja incluir no teclado de “emojis” mulheres com véu.

Aos seus 15 anos, Rayouf, que usa o “hijab” há dois anos, ao olhar para os símbolos já disponíveis, como o de mulheres vestidas de princesa, de noiva, a dançar e a cortar o cabelo, acredita que também há espaço ali para a sua realidade, ou seja, para o seu véu.

A elaboração do projecto, enviado para o Consórcio Unicode – responsável por supervisionar a adição de novos símbolos, contou com a ajuda da ex-repórter do "The New York Times", Jennifer Lee, que acabou por consagrar-se como uma das coautoras. E também com o apoio do cofundador da rede social Reddit, Alexis Ohaniane, e da ilustradora Aphelandra Messer.

Na proposta, a jovem muçulmana, que actualmente vive em Berlim, escreve um pouco sobre a história do “hijab” e sua importância para quem opta em usá-lo: "Aproximadamente 550 milhões de mulheres muçulmanas orgulham-se de usar o hijab. Existe um número elevado de pessoas e não há um espaço no teclado que lhes seja reservado". E acrescenta, em entrevista ao The New York Times: "Precisamos ser representadas com a quantidade de diversidade, a quantidade de diferença que há neste mundo".

Assim como Rayouf, quatro trabalhadores da Google, numa tentativa de aumentar a representação de mulheres nos “emojis”, apresentaram ao Consórcio Unicode, 13 novos ícones que retratam mulheres em diferentes profissões nas áreas de tecnologia, indústria, saúde, ciência, educação, agricultura, alimentação e empresas. Cada "emoji" tem também o seu equivalente masculino.

O aumento da popularidade e do reflexo dos pictogramas em todo o mundo fez com que, em 2015, o Dicionário Oxford, escolhesse como a palavra do ano, não especificamente uma palavra, e sim um “emoji”. Além disso, neste mesmo ano, novas actualizações permitiram alterar a cor do cabelo e da pele dos ícones. Essas adaptações são cada vez mais comuns, pois têm em vista a criação de um ambiente onde diferentes utilizadores sintam-se representados.

A versão final do projecto da Rayouf será exposta para a comissão técnica do Unicode em Novembro, na Califórnia. Caso seja aceito, o “emoji” entra para a lista de candidatos a serem escolhidos e lançados em Junho de 2017.