Federação de futebol alemã pede a Platini para não falar

Comité de Ética da FIFA autorizou o francês a discursar no Congresso Extraordinário da UEFA, em Atenas.

Foto
YURIY DYACHYSHYN/AFP

O presidente da federação alemã, Reinhard Grindel, criticou esta segunda-feira a autorização da FIFA para Michel Platini discursar quarta-feira, em Atenas, no congresso que vai definir o sucessor do francês na presidência da UEFA.

"Gostaria que Michel Platini renunciasse a fazer uma aparição. Esta conferência deve incidir sobre o futuro e não no passado. O congresso da UEFA deve ser marcado pelo programa do seu novo presidente e não pelos erros do seu antecessor", justificou aquele dirigente.

O Comité de Ética da FIFA, órgão que em Outubro de 2015 suspendeu Platini por seis anos, informou a UEFA que o francês de 61 anos está "autorizado a falar no Congresso Extraordinário da UEFA".

Presidente da UEFA desde 2007, Platini acabou por recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) que lhe reduziu a pena para quatro anos de suspensão de todas as actividades ligadas ao futebol. Em causa o controverso pagamento de 1,8 milhões de euros que Platini recebeu de Joseph Blatter, então presidente da FIFA.

No verão, Michel Platini tinha revelado que aspirava a apresentar a sua demissão perante as 55 federações que compõem a UEFA.