Unsplash
Foto
Unsplash

Megafone

Estágios do IEFP são só mais uma experiência de bolsos vazios

Como posso pedir mais que o mínimo? Eu e muitos compactuamos com o que nos apresentam no fim de cada mês, muitos até compactuam com o que não lhes dão no fim do mês nem no fim de um ano, outros até pedem bolsos vazios em troco de uma experiência premiada. Investimento, dizem ele

Já ninguém se admira com a recentíssima descoberta surpreendente do escândalo do IEFP. Houve quem se admirasse por saber que isto era capaz de produzir um alarido tão grande, mas eu e muitos outros pensávamos que isto já fosse correntemente normal. De facto, o único escândalo que me surpreendeu foi quando encontrei um estagiário que estava a receber o mínimo exigido por lei e, ainda para mais, sem actos benévolos do Estado — fiquei admirada porque não sabia que o nosso valor enquanto estagiários poderia subir até ao mínimo.

Como posso pedir mais que o mínimo? Eu e muitos compactuamos com o que nos apresentam no fim de cada mês, muitos até compactuam com o que não lhes dão no fim do mês nem no fim de um ano, outros até pedem bolsos vazios em troco de uma experiência premiada. Investimento, dizem eles.

Deixo em ressalto que o valor que dão a mim mesma é o mesmo que os outros iguais a mim dão a si mesmos. Digo valor de mim, porque aqui não falo de ordenado, mas sim de um subsidio de subsistência que me empobrece de uma liberdade imperativa que julgava minha e que não, não é apenas desmotivadora do meu eu como trabalhadora/estagiária.

Crise de valores

Claro que até podemos parabolizar toda esta situação com uma resignação geral típica de um país que aspira o subdesenvolvido, mas aqui não falo de hipóteses. A maioria, esta maioria actual e jovem, é quem fez com que isto fosse regular, e todo um sector é que fez com que fossemos um país tão aquém da Europa no valor que conferimos ao tempo, dedicação e saber de outros iguais a nós. Aqui considero-me culpada pela omissão e pela cumplicidade silenciosa de uma crise que já não é só económica, mas sim de valores.

Em conversa com colegas percebi que o murmúrio em torno desta notícia despertou-nos da resignação que vivemos enquanto estagiários; percebemos que até para a situação nacional estamos a ser desvalorizados. Murmúrio porque algo novo surgiu. Porque, desta vez, não foi o dinheiro dado pelos nossos pais ou ganho por nós próprios que nos foi exigido, mas sim o dinheiro custeado por todos nós.