Crónica

O ano Waller-Bridge

É sensacional a comédia negra Fleabag, escrita e interpretada por Phoebe Waller-Bridge. Consegue ser muito melhor do que a outra série dela de 2016, Crashing, meramente divertida.

Crashing foi produzida para a Channel 4. Fleabag foi produzida para a Amazon. À parte o enorme talento de Waller-Bridge, é óbvio que a diferença de qualidade se deve à maior prosperidade e permissividade da Amazon.

Enquanto Crashing é uma comédia de identidades – e uma história de amor – Fleabag é uma observação profunda da família, da amizade, do luto e do sexo.

O elenco de Fleabag é um luxo, que muito ajuda a formidável Waller-Bridge: a magnífica Olivia Colman (a monstruosa madrinha e madrasta), um hilariante Bill Paterson (o pai que não gosta muito das filhas) e a surpreendente Sian Clifford (a irmã reprimida e espertíssima).

No elenco de Crashing só a própria Phoebe Waller-Bridge brilha como intérprete. O resto do elenco é competente mas tende para a caricatura e para o exagero.

Ver as duas séries (cada uma com apenas seis episódios) ao mesmo tempo permite apreciar a importância da companhia que paga a produção. A Big Talk Productions que produziu Crashing para a Channel 4 é excelente e tem muito mais experiência que a Two Brothers Pictures que produziu Fleabag para a Amazon.

Mas as condições de trabalho foram determinantes. É uma questão de liberdade, tempo e, sobretudo, dinheiro.

Ao contrário do que se pensa, quanto maior o talento mais ele precisa dessas ninharias.

Sugerir correcção