Postos de saúde de praia no Algarve atenderam mais de 3500 pessoas em Julho

Dos atendimentos registados 1497 foram para fazer tratamentos e 1292 devido a picadas de peixe-aranha e insectos.

Foto

Os 32 postos de saúde de praia do Algarve registaram em Julho mais de 3500 atendimentos, grande parte dos quais devido a picadas de peixe-aranha e insectos, informou esta quinta-feira a Administração Regional de Saúde (ARS).

Em comunicado, a ARS do Algarve adianta que foram registados 3553 atendimentos, dos quais 1497 para fazer tratamentos, 1292 devido a picadas de peixe-aranha e insectos, 477 para medir a pressão arterial, 128 para administrar injecções e 116 para realizar testes de glicemia.

Durante este período, 43 das pessoas atendidas nos postos de praia foram encaminhadas para outras unidades de saúde, sendo que os postos de saúde com maior número de atendimentos foram os de Monte Gordo e Manta Rota (ambos no concelho de Vila Real de Santo António), Armação de Pêra (Silves), Praia dos Tomates (Albufeira) e Ilha da Armona (Olhão).

Do total de pessoas atendidas nos postos de saúde de praia, 73,7% não são residentes na região do Algarve (78,7% são residentes noutras regiões do país e 21,2% são estrangeiros) e os restantes 26,3% são residentes no distrito de Faro.

Segundo a ARS do Algarve, estas percentagens justificam-se "dado o elevado número de turistas, nacionais e estrangeiros, que se encontram na região algarvia durante esta época do ano".

Os postos de saúde de praia, com horário de atendimento entre as 10:30 e as 19:30, têm como objectivo assegurar cuidados de saúde de enfermagem e dar resposta a situações clínicas que possam ser tratadas no local, ou, em caso de necessidade, encaminhar o utente para uma unidade de saúde mais adequada.

Os postos, que funcionam ao abrigo do Plano de Verão 2016, irão manter-se em funcionamento até 18 de Setembro. São geridos pela ARS do Algarve em colaboração com a Cruz Vermelha Portuguesa.

Sugerir correcção