O actor que combatia Mentes Criminosas foi expulso da série por violência

Thomas Gibson, ou "Hotch", terá pontapeado um colega depois de já ter estado envolvido noutras altercações. A personagem desaparecerá da popular série.

O actor interpretou a personagem ao longo de 11 temporadas
Foto
O actor interpretou a personagem ao longo de 11 temporadas cbs

Thomas Gibson era, há 12 anos e 11 temporadas, um dos rostos da lei na série Mentes Criminosas, mas era também um membro conflituoso da equipa. Esta sexta-feira, Gibson foi despedido de uma das séries mais vistas do mundo depois de um acto de violência física nas filmagens. Nos últimos anos, o actor que interpretava o agente Aaron Hotchner já tinha estado envolvido em conflitos de bastidores.

A série da CBS é um dos mais conhecidos procedurals criminais americanos – em Portugal é exibida no canal AXN – e é a segunda série dramática mais vista dos EUA na importante fatia de público entre os 18 e os 49 anos (na estação passada, conseguiu uma média de 12 milhões de espectadores em sinal aberto). Gibson é um dos mais conhecidos protagonistas da equipa ficcional de elite do FBI que analisa e persegue assassinos e outras Mentes Criminosas desde 2005. Mas agora vai perder Hotch, que só tem mais dois episódios gravados e não voltará às filmagens para resolver o seu destino ficcional. A nova temporada da série regressa nos EUA a 28 de Setembro.

“Thomas Gibson foi despedido de Mentes Criminosas”, disseram os produtores em comunicado. “Os detalhes criativos sobre como é que a saída da personagem vai ser abordada na série serão anunciados mais tarde”, indicam a ABC Studios (produtora) e a CBS TV Studios.

A ABC Studios levou a cabo uma investigação sobre um incidente nas filmagens há duas semanas, escreve a revista Variety. Gibson terá pontapeado o produtor executivo Virgil Williams, segundo o site Deadline. Já a revista Hollywood Reporter noticia que se tratou de uma divergência sobre o guião e que o autor desse argumento terá sido pontapeado por Gibson. De acordo com o Deadline e a Variety, os seus abusos verbais para com os colegas de elenco e membros da equipa técnica seriam frequentes – há mesmo um outro caso registado, que remonta a 2010, em que um assistente de realização terá sido alvo de uma altercação violenta (um empurrão) que fez com que a produção enviasse o actor para terapia.

O actor, que chegou a realizar alguns episódios da série, terá sido suspenso já há duas semanas e o incidente ocorreu durante a filmagem de um episódio realizado por si, escreve a CNN.

Fontes do sector foram contando à imprensa que a manutenção da sua presença “volátil” na equipa era motivo de surpresa depois desses incidentes. Gibson chegou mesmo a ser detido em Los Angeles em Janeiro de 2013 depois de o seu carro ter atravessado uma barricada rumo a uma rua encerrada para a realização de uma maratona. Declarou-se culpado por condução perigosa relacionada com álcool.

Num comunicado enviado à Hollywood Reporter na quinta-feira, Gibson admitia a existência de “divergências criativas e de um desentendimento nas filmagens” – “arrependo-me que tal tenha acontecido. Todos queremos trabalhar juntos como uma equipa para fazer a melhor série possível”. “Adoro Mentes Criminosas e empenhei-me nela de corpo e alma nos últimos 12 anos. Esperava ter continuado até ao fim, mas isso agora não será possível”, escreveu Gibson no comunicado enviado à imprensa na sexta-feira. Agradecendo à “espantosa equipa” e aos “melhores fãs”, o actor despediu-se assim da série.