O mistério da água da piscina que deixou de ser azul e agora está verde

Na competição feminina dos saltos sincronizados a água estava verde, contrastando não só com as outras piscinas como com as cores do dia anterior.

A diferença entre as duas piscinas é notória
Fotogaleria
A diferença entre as duas piscinas é notória Reuters
Fotogaleria
A água foi escurecendo ao longo do dia Reuters
Fotogaleria
A competição não sofreu qualquer alteração Reuters
Fotogaleria
A cor apenas mudou na piscina dos mergulhos Reuters
Fotogaleria
Reuters

Não se sabe o que se passou e, à falta de explicações oficiais, multiplicam-se os rumores. Uma coisa é certa: a água da piscina onde decorre a competição de saltos está verde. O contraste com a piscina de polo aquático ali ao lado é evidente, tal como as imagens das provas desta terça-feira são em si mesmo um contraste com as imagens de segunda-feira. Foi propositado? Esqueceram-se de tratar a água?

Nas redes sociais são já muitas as críticas à organização dos Jogos Olímpicos. A final de saltos masculina aconteceu na segunda-feira e teve a água na sua cor normal, o azul que vemos no polo aquático e na natação. Mas a final feminina, que se disputou nesta terça-feira, não teve as mesmas condições. O porquê é a pergunta sem resposta que está a incomodar também os atletas.

Os comentadores das transmissões televisivas ocuparam os seus directos com especulações várias. E um rumor ganha força pelas redes sociais: foi tudo planeado e a água está verde para se assemelhar às cores da bandeira brasileira.

Numa corrente mais séria, fala-se da falta de tratamento adequado à água ou numa dosagem errada na quantidade de cloro. E questiona-se se o estado da água não representa risco para os desportistas.

Ao portal brasileiro Uol, Ingrid Oliveira contou que quando foi treinar ao início da tarde desta terça-feira, “a água estava normal”. “Fui para o vestiário e quando voltei havia mudado para esse tom de verde-escuro. Não sei o que aconteceu”, disse a atleta brasileira Ingrid Oliveira, que faz dupla com Giovanna Pedroso, que garantiu que em nada a mudança de cor atrapalhou a prova.

Pode não ter atrapalhado a China de se ter tornado campeã olímpica, mas a verdade é que no final da competição na zona de imprensa era da cor da água que se falava. Até os atletas procuravam perceber se alguém tinha uma resposta para o mistério.

No Twitter, por exemplo, o britânico Tom Daley, que na segunda-feira arrebatou a medalha de bronze, publicou uma foto da piscina de mergulhos e da piscina de pólo aquático a perguntar o que tinha acontecido.

Os comentadores da BBC ainda perguntaram a um árbitro se sabia o que tinha acontecido mas a resposta foi também um “não”, remetendo a questão para a organização. “Ninguém nos está a dizer nada.”

O Uol escreve que a organização do Rio 2016 também ainda está à procura de uma explicação para o fenómeno, garantindo, no entanto, que não há qualquer risco para os atletas e, por isso, a agenda das provas não será alterada.  

Sugerir correcção