Ingleses e russos protagonizam batalha campal em Marselha

Vários feridos em confrontos antes do Inglaterra-Rússia.

Fotogaleria
A polícia de Marselha voltou a ter de intervir LEON NEAL/AFP
Formou-se uma nuvem de gás lacrimogéneo
Fotogaleria
Formou-se uma nuvem de gás lacrimogéneo LEON NEAL/AFP
Muitas garrafas de vidro foram arremessadas
Fotogaleria
Muitas garrafas de vidro foram arremessadas Jean-Paul Pelissier/Reuters
Os confrontos entre adeptos repetiram-se em Marselha
Fotogaleria
Os confrontos entre adeptos repetiram-se em Marselha Jean-Paul Pelissier/Reuters
Fotogaleria
Foram feitas várias detenções e há pelo menos um ferido grave TOBIAS SCHWARZ/AFP

A violência voltou a tomar conta das ruas de Marselha, com novos desacatos protagonizados por adeptos ingleses e russos. Os incidentes provocaram vários feridos, um deles com gravidade.

Horas antes do Inglaterra-Rússia, do Grupo B do Euro 2016, adeptos das duas selecções (e também habitantes de Marselha) envolveram-se em confrontos no centro da cidade francesa, recorrendo ao que tinham à mão para arremessarem: garrafas de vidro, cadeiras e até mesas de esplanada. Pelo menos um cidadão inglês teve de ser transportado para o hospital após ter sofrido um ataque cardíaco e ficado inconsciente.

As imagens mostram dois grandes grupos que trocam agressões antes da partida desta noite, na sequência do que já tinha acontecido na sexta-feira, quando nove pessoas foram detidas.

“A polícia interveio numa rixa que opunha adeptos ingleses, russos e franceses numa zona do porto velho. Os incidentes foram graves mas a calma regressou em poucos minutos”, afirmou o prefeito da polícia marselhesa, Laurent Nunez. As autoridades utilizaram gás lacrimogéneo e dispersaram os adeptos para as ruas circundantes.

A repetição dos incidentes em Marselha faz aumentar os receios da ameaça de hooliganismo neste Europeu. Nas redes sociais circulavam imagens de adeptos russos com bandeiras inglesas roubadas de grupos rivais. Vários bares na zona do porto velho de Marselha fecharam as portas ou não vão transmitir o Inglaterra-Rússia para evitar novos episódios de violência.