Lar que sofreu explosão no Montijo estava licenciado

Acumulação de gás na cozinha causou rebentamento e provocou ferimentos ligeiros em seis pessoas, cinco idosos e uma funcionária

Técnicos de ambulância têm substituído os enfermeiros na prestação de serviços de suporte básico à vida de vítimas
Foto
Técnicos de ambulância têm substituído os enfermeiros na prestação de serviços de suporte básico à vida de vítimas

O lar de idosos, em Sarilhos Grandes, concelho do Montijo, onde esta quinta-feira de manhã ocorreu uma explosão, está devidamente licenciado, com alvará de funcionamento emitido pela Segurança Social, confirmou ao PÚBLICO, no local, o presidente da Câmara Municipal do Montijo

“A Segurança Social [de Setúbal] já nos confirmou que a unidade tem alvará e as obras de remodelação também têm licença da Câmara Municipal”, disse Nuno Canta, no local, depois de ter entrado nas instalações onde se deu o rebentamento.

A explosão, que provocou seis feridos ligeiros, aconteceu pouco despois das 11h na cozinha do lar, mas antes de começar a ser servido o almoço, pelo que os ferimentos foram provocados pelo efeito de projecção, que se fez sentir na sala anexa onde estavam os utentes, e não por queimaduras referiu a Protecção Civil Municipal.

Segundo a mesma fonte, a rebentamento foi provocado por uma fuga de gás na cozinha e não teve relação com as obras de remodelação que estão a decorrer no lar.

A cozinha está numa ala nova do edifício, nas traseiras, sendo que a parte em obras é o edifício principal, fisicamente separado da zona afectada pelo rebentamento.

Na altura da explosão estavam no lar Recantos de Memórias 18 utentes que, entretanto foram já transferidos para outra unidade do mesmo proprietário. “Todos os utentes foram para outro lar da mesma empresa”, disse Nuno Canta.

O autarca disse ainda que, à partida, a explosão não causou danos estruturais no edifício, mas os serviços da Câmara do Montijo vão avaliar o espaço.

A Câmara Municipal do Montijo vai agora averiguar do edifício, embora o autarca tenha dito já que não deve ter havido danos estruturais.  

A Polícia Judiciária foi enviada ao local, pelo Ministério Público, depois do alerta dado pela GNR.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal (CDOS) informou que os feridos foram assistidos no local por uma equipa de emergência médica e posteriormente transportados para o Hospital do Barreiro.

Segundo o CDOS,  estiveram no local 22 operacionais e 10 viaturas dos bombeiros, do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da GNR.