Crónica de jogo

Benfica começou a sofrer e acabou a golear

“Encarnados” derrotaram o Sp. Braga na Luz por 5-1 e vão continuar isolados no topo da Liga. Golo de honra dos bracarenses surgiu de penálti, o primeiro assinalado contra os benfiquistas nesta temporada.

Pizzi marcou o terceiro golo da goleada do Benfica sobre o Sp. Braga
Foto
Pizzi marcou o terceiro golo da goleada do Benfica sobre o Sp. Braga PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP

O Benfica ultrapassou com sucesso aquela que podia ser considerada a “final” mais difícil do seu calendário, derrotando o Sp. Braga no Estádio da Luz, por 5-1, no jogo que abriu a 28.ª oitava jornada da Liga portuguesa. Frente ao quarto classificado, os “encarnados” ainda sofreram durante os primeiros minutos, mas tudo correu bem aos homens de Rui Vitória, que vão continuar na liderança isolada do campeonato sem precisar de fazer contas ao que os adversários possam fazer. Os minhotos, por seu lado, vão manter-se tranquilos no quarto lugar, já que o perseguidor mais próximo, o Arouca, está a nove pontos.

Mas este triunfo não foi tão fácil como os números podem sugerir e durante os primeiros 11 minutos, a tendência do jogo foi claramente outra. Logo nos primeiros segundos, Wilson Eduardo atirou ao poste, após um cruzamento perfeito de Hassan. Aos 11’, Rafa atirou por cima apenas com Ederson e a baliza pela frente, após um passe longo de Mauro. Foram dois momentos em que os corações benfiquistas pararam e que mostravam a intenção de Paulo Fonseca em levar o Sp. Braga a ganhar na Luz pela primeira vez.

PÚBLICO -
Foto

Mas cinco minutos depois, o Sp. Braga entrou em autodestruição. Mauro carregou no botão e o Benfica aproveitou. Erro tremendo do médio brasileiro no lançamento da equipa para o ataque, Mitroglou aproveitou e fez o 1-0. Foi um erro provocado pela pressão alta do Benfica, mas não deixou de ser uma falha gigante. E o Benfica, de aflito, passou a comandar o jogo e não voltou a ceder a posição.

Até ao intervalo, a baliza de Matheus ainda iria receber mais duas “prendas”. Primeiro, aos 37’, foi Jonas a marcar, de penálti, o 2-0, depois de uma bola no braço do central André Pinto num remate à “queima” de Renato Sanches. Aos 40’, foi Pizzi a fazer o 3-0, após assistência com as costas de Jonas. Nesta altura, já não havia muito a fazer para o Sp. Braga, cujo objectivo passou, de tentar ganhar para tentar não sofrer mais e, talvez marcar um golo.

Os minhotos entraram para a segunda parte com alguma disposição ofensiva, mas com a mesma (nula) eficácia. Ainda conseguiram mais uma bola ao poste (Hassan, 61’) e um par de bons remates (Mauro, 58’; Pedro Santos, 65’), mas a “estrela” e a confiança estava toda do outro lado.

Aos 71’, num contra-ataque conduzido por Jonas, Mitroglou fez o seu segundo da noite e, aos 75’, foi o recém-entrado Samaris, de livre directo, a deixar o guardião Matheus muito mal visto.

O melhor que o Sp. Braga conseguiu fazer foi marcar de penálti no último minuto, com Pedro Santos a converter uma falta que ele próprio sofreu de Nelson Semedo. Mas não foi nada que beliscasse o resultado.

Mais tranquilo que isto impossível, e com números que dão confiança, não apenas para o que resta do campeonato, mas também para o compromisso europeu da próxima terça-feira, em Munique, com o Bayern. E contra uma das melhores equipas do mundo, o Benfica vai precisar de tudo no lugar.