Benfica com caminho mais fácil do que Sporting e FC Porto até final do campeonato

Quando faltam 12 jornadas para o fim da I Liga, os “leões” têm o calendário teoricamente mais complicado, com dificuldades acrescidas nas derradeiras jornadas.

Foto
Sporting e Benfica ainda vão voltar a defrontar-se uma vez antes do campeonato acabar Rafael Marchante/Reuters

A história deste campeonato não convida a apostas convictas em relação ao futuro campeão nacional. Alguns candidatos já foram prematuramente afastados da corrida, mas renasceram das cinzas para baralhar as contas e dificultar previsões. Quando faltam 12 jornadas para o fim da prova, um exame ao calendário dos três candidatos ao título, permite concluir, num exercício necessariamente teórico, que o Benfica terá a agenda menos complicada, quando comparada com a dos seus adversários directos. Já o Sporting terá pela frente um caminho mais espinhoso, em particular na recta final da prova, tal como o FC Porto, que parte ainda com a desvantagem de ter de recuperar seis pontos para a liderança.

Será no Estádio José Alvalade, no início do mês de Março, que os “encarnados” irão enfrentar a tarefa mais árdua desta recta final da Liga. Frente ao Sporting, a equipa de Rui Vitória terá a última oportunidade de vencer um adversário directo na luta pelo título esta temporada. Para ficarem em igualdade de circunstâncias com os “leões” em caso de empate na classificação, os bicampeões nacionais terão de vencer por 3-0. Mas o derby até pode não ser fundamental para as contas do conjunto da Luz.

Será certamente o jogo mais difícil do Benfica nas 12 rondas que faltam disputar, caso não ocorram outros imprevistos pelo caminho. De grau de dificuldade elevado serão ainda as partidas frente ao Sp. Braga e V. Guimarães, mas com a vantagem de ambas serem disputadas no Estádio da Luz. Em relação aos jogos fora de portas, para além do derby, a visita ao Paços de Ferreira, já na próxima jornada, a par das deslocações aos terrenos do Rio Ave e Marítimo serão os testes mais exigentes.

Foto

A verdade é que, até ao momento, para além dos desaires nos jogos “grandes”, os restantes adversários do Benfica raramente causaram estragos, tendo a equipa perdido apenas cinco pontos, divididos entre a derrota fora com o Arouca (1-0) e o empate na Madeira com o União (0-0). Uma estatística animadora e que tem compensado as três derrotas frente ao Sporting e FC Porto (no Dragão e na Luz).

Implacável nos embates com “encarnados” e “dragões”, até ao momento, o Sporting tem tido inesperadas dificuldades em partidas menos problemáticas. Uma derrota com o União, na Madeira (1-0), e empates com Paços de Ferreira, Tondela, Rio Ave (todos em Alvalade) e Boavista (fora) impediram os “leões” de estarem mais destacados na classificação nesta fase da prova. E também tornam menos previsível o comportamento da equipa frente a adversários deste calibre, com a agravante de ser o único dos três candidatos ao título a ter ainda de enfrentar ambos os adversários directos.

Se o jogo da próxima jornada com o Boavista poderá não trazer complicações de maior, segue-se uma deslocação ao campo do V. Guimarães, onde o FC Porto já deixou três pontos e o Benfica teve de suar muito para alcançar um triunfo pela margem mínima, numa partida marcada pela contestação dos minhotos à arbitragem. E logo depois jogará o último derby com os “encarnados”, numa partida sempre de aposta tripla, apesar do ascendente “leonino” no confronto directo esta temporada, que redundou em três triunfos entre a Supertaça, Liga e Taça de Portugal.

Com relativo grau de exigência contam-se ainda as deslocações aos terrenos do Estoril e Belenenses, mas o pior está guardado para o fim: o FC Porto na antepenúltima jornada e o Sp. Braga na última ronda, ambos fora de casa.

Também o FC Porto terá de capitalizar os efeitos do sucesso no recente clássico com o Benfica, no Estádio da Luz, para fazer bem melhor no que resta do campeonato. Três derrotas (Sporting, V. Guimarães e Arouca), quatro empates (Marítimo, Moreirense, Sp. Braga e Rio Ave) e seis pontos de desvantagem para o topo da classificação, deixaram os “dragões” sem espaço de manobra para errar.

E o calendário não é muito apelativo para a equipa de José Peseiro. Depois de receber o Moreirense na próxima ronda, seguem-se duas deslocações consecutivas aos campos do Belenenses e Sp. Braga. Mais à frente, terão ainda saídas para defrontar o V. Setúbal e o Paços de Ferreira. Nas derradeiras jornadas, recebe o Sporting e, no penúltimo compromisso do campeonato, irá a Vila do Conde medir forças com o Rio Ave.

A luta a três pelo título promete ter capítulos imprevisíveis nas próximas semanas e falta ainda saber quais serão os efeitos para as contas finais do desgaste provocado pelo regresso das competições europeias já esta semana.