Pequena geografia dos resultados eleitorais

Detalhes de uma eleição presidencial.

Foto
Rui Gaudêncio

O Presidente de Rans
Vitorino Silva não conseguiu obter o resultado de José Manuel Coelho nas últimas presidenciais (4.51%), mas o candidato mais pitoresco e mais anti-sistema das eleições não se saiu mal. Em muitos distritos do Norte ficou à frente até de Maria de Belém e na sua freguesia, Rans, arrebatou até uma estrondosa vitória, com 60.93% dos votos. Não chegou a bater o registo actual presidente nas eleições de 2011 (Cavaco recolheu 66.92% dos votos), mas no seu território, Vitorino obteve mais do dobro dos votos do novo inquilino do Palácio de Belém.

A freguesia nem sim nem não
A freguesia do Soajo era conhecida pelos seus espigueiros (e bela beleza da paisagem envolvente) e começa a ser reconhecida pelo seu empenho na abstenção. Nas Legislativas de Outubro, 81.66% dos eleitores inscritos decidiram ficar em casa; neste domingo, essa atitude militante conservou-se e a abstenção rondou os 79% do eleitorado. Os poucos que foram às urnas, porém, não tiveram dúvidas sobre as suas escolhas: mais de 80% dos eleitores apostaram em Marcelo e Sampaio da Nóvoa.

Veja os resultados por distrito, concelho e candidato

E o tempo esteve bom…
Por falar em abstenção, a verdade é que a moda do Soajo parece ter-se espraiado um pouco por todo o país. Esta foi a primeira primeira volta de umas Presidenciais em que a abstenção ficou acima dos 50%. Recuando até 2006, na primeira vitória de Cavaco Silva, a disputa presidencial tinha mobilizado o empenho de cerca de 62% dos eleitores. E desta vez as habituais explicações para a elevada abstenção não existiram. O tempo esteve bom - nem dava para a praia nem impedia que se saísse de casa. Mesmo assim, o valor da abstenção aproximou-se dos registos de 2011, quando se sabia que Cavaco Silva se limitava a cumprir calendário para garantir um segundo mandato.

O bastião vermelho
Se há lugar certo para se usar o conhecido slogan “assim se vê a força do pecê” é na união de freguesias de Alcórrego e Maranhão, no concelho de Avis. Aí, Edgar Silva pôde retemperar energia e apontar os 53.1% dos votos que recolheu como uma prova da justeza estratégica da sua candidatura. Ou talvez não. É que nas últimas presidenciais o candidato Francisco Lopes tinha obtido na freguesia uns notáveis 71.37% dos votos. E nas últimas legislativas, o PCP conseguiu ficar perto dos 65%.  

Enxames com o Bloco
O Bloco de Esquerda continua à espera de conquistar um bastião onde possa exercer a sua hegemonia. Depois de ter perdido a Câmara de Salvaterra de Magos, o lugar mais apropriado para cumprir essa ambição é uma freguesia do concelho do Fundão, Enxames. Nas Legislativas, o Bloco obteve aí 22.5% dos votos e, neste domingo, Marisa Matias aumentou esse patamar para os 23.9% dos sufrágios. Ainda assim, ficou na terceira posição na corrida. Marcelo ganhou na freguesia com 30.77% dos votos.

O laranjal do Barroso
Numa das encostas da serra do Barroso voltadas para o Tâmega votar no PSD ou nos candidatos da família do PSD é tão natural como respirar. Na união de freguesias de Codessoso, Curros e Fiães, no concelho de Boticas, o PSD obtém sempre resultados de feição norte-coreana – acima dos 85%. Neste domingo, Marcelo manteve a tradição e conquistou 87.25% do apoio da pequena população local (178 votos). Sampaio da Nóvoa limitou-se a receber 5.39%.  

O brilho de Nóvoa em Negrões
Se Curros é um altar à devoção do PSD, Negrões, no vizinho concelho de Montalegre, é um local sagrado dos socialistas. Nesta pequena freguesia onde o PS obteve 65% dos votos nas legislativas, Sampaio da Nóvoa registou 39.3% dos votos e até Maria de Belém conseguiu ficar acima dos 15%. No meio, Marcelo limitou-se a garantir 32%. Bem vistas as coisas, os dois candidatos apoiados pelo PS conseguiram conservar os votos depositados em Manuel Alegre, que nas Presidenciais de 2011 impôs uma severa derrota a Cavaco Silva ao conquistar 53.9% dos votos.

Febres sem Cândido Ferreira
Cândido Ferreira apresentou-se ao país sob o lema “De Febres para Belém”. O candidato nasceu nessa freguesia do concelho de Cantanhede, revelou aí os contornos do seu programa e esperava-se que fosse aí que a sua candidatura atingisse o seu esplendor. Errado. Cândido Ferreira ficou-se pelos 6.96% dos votos. Bem melhor esteve Marcelo, que chegou aos 67.5%

Marcelo em terras de Cavaco
Nas Presidenciais de 2011 Cavaco Silva esmagou a concorrência na sua freguesia natal, Boliqueime, concelho de Loulé, ao registar 74.4% dos votos e ao deixar o seu rival mais directo, Manuel Alegre, abaixo dos 10%. Neste domingo tem, o candidato da mesma família política, Marcelo Rebelo de Sousa, não foi tão longe, mas ainda assim conquistou 62.5% dos votos, deixando Sampaio da Nóvoa a quase 40 pontos percentuais de distância.

Veja a votação de Marcelo Rebelo de Sousa concelho a concelho