Nesta Marquise divulga-se ilustração (primeiro a de Charlotte Peys)

Fotogaleria

Em Coimbra, há uma Marquise com vista para a ilustração e o desenho contemporâneo. Este novo projecto da associação cultural Casa da Esquina (já lhe conhecíamos A Guerrilha da Agulha) pretende ser, de acordo com o comunicado enviado ao P3, "um espaço que simultaneamente protege e mostra" estas áreas criativas, conciliando "o prazer em fazer as coisas e a ideia de liberdade individual". Em agenda estão exposições mensais, "workshops" e colaborações com autores(as) que trabalhem nestes campos, tanto a nível local como global. Tudo começa já em Fevereiro com uma exposição da belga Charlotte Peys que tem um trabalho centrado "na observação e no registo", como referiu à agência Lusa Ana Fróis, ilustradora e dinamizadora do projecto. Nascida em 1987, a artista é ilustradora e cientista cultural. É fascinada por áreas como antropologia, sociologia, história natural e filosofia, o que se vê nas suas obras. Ilustra para "memorizar, coleccionar, contar histórias, categorizar e investigar", refere a nota de imprensa. Para a Casa da Esquina, preparou a exposição "Diorama" que será inaugurada a 6 de Fevereiro pelas 16h. Os dois primeiros desenhos desta galeria vão lá estar. Até Novembro, há muito para ver na Marquise da Casa da Esquina (Rua Aires de Campos, n.º 6, Coimbra). Estão confirmadas as presenças da dinamarquesa Puk Ewdokia, em Abril, Ana Biscaia, em Junho, Marta Monteiro, em Julho, Catarina Sobral, em Setembro, Paul Hardman, em Outubro, e a própria Ana Fróis, em Novembro. Está prometido que não haverá um grande "fio condutor" entre as diferentes exibições. É o que se quer.

Sugerir correcção