Editorial

Dez nomes para a sucessão a Cavaco

Oficialmente são dez nomes, mas podem vir a ser menos. Na corrida a Belém, dos 21 que tinham anunciado a intenção de se candidatar, só dez entregaram as assinaturas no Tribunal Constitucional. Agora, este tem até dia 11 de Janeiro para confirmar se está tudo certo ou se alguma candidatura, por eventual falha ou irregularidade, fica de fora. Um prazo demasiado largo para o pouco tempo que falta para o voto: 24 de Janeiro. Até porque é preciso, entretanto, imprimir boletins, decidir dos votos por correspondência e outras minudências. As campanhas, como se sabe, já estão em marcha. E aos nomes já muito falados vieram juntar-se Jorge Sequeira, Cândido Ferreira e até Tino de Rans, que diz que se o elegeram presidente da junta também hão-de elegê-lo Presidente da República. Naturalmente. Podia dizer-se: a procissão vai no adro. Mas não, vai no fim. E o pouco tempo que falta até 24 é até demasiado para o desenlace que se adivinha.