DR
Foto
DR

Edinburgh espalha-se ao comprido em Parma

Os Scarlets são a única equipa 100% vitoriosa depois de cumpridas as cinco primeiras jornadas do Guiness Pro 12

Scarlets e Connacht aproveitaram a derrota do Munster e são nos novos líderes do Guiness Pro 12. Os campeões Glasgow Warriors perderam frente ao Leinster e o Edinburgh, que ainda não tinha perdido, protagonizou a surpresa da ronda ao perder no terreno do Zebre, que não tinha ainda somado qualquer ponto.

 

Scarlets-Munster (25-22)

PÚBLICO -
Foto

O embate entre duas equipas que ainda não tinham perdido esta época estava envolto em alguma expectativa. Os Scarlets começaram mais pressionantes, mas num avant perto da linha de 10 metros, recolhido com passes futebolísticos por Andrew Conway, permitiu que depois de uma longa corrida, este fizesse toque de meta e colocasse os irlandeses na frente. Na primeira parte, os galeses apenas conseguiram pontos através dos pontapés de Steve Shingler. No segundo tempo, a pressão dos Scarlets reflectiu-se em pontos, através de ensaios de DTH van Den Merwe e de um irrequieto Tom Williams - tão irrequieto que foi para o sin bin por uma placagem alta. Shingler não fraquejou e garantiu a preciosa vitória para os Scarlets, através dos seus pontapés.

 

 

Newport Gwent Dragons-Treviso (19-12)

Num jogo de atritos e com um historial de cinco vitórias prévias galesas no Rodney Parade, foram os Dragons a começar melhor, com conversão de uma penalidade aos 2’ por Jason Tovey. O Treviso respondeu por Jayden Hayward, aos 12’, para a meio da primeira parte, depois de um bom maul, Nic Cudd ter mergulhado para o único ensaio da tarde. Apesar de um inspirado Ashton Hewitt ter causado estragos na defesa Italiana, a falta de disciplina perto da linha de 22 metros do Treviso acabou por ser quase fatal para os Dragons. Os 14 pontos de Jason Tovey salvaram, no entanto, o dia.

 

Ulster-Cardiff Blues (24-17)

Uma tarde inspirada do Ulster, com bolas rápidas, boas reciclagens e boas fases estáticas. Dois ensaios na primeira parte por Andrew Trimble e Paul Marshall, levantaram a moral de uma equipa que, antes dos 50 minutos, já tinham o ponto de bónus ofensivo, com mais dois ensaios: Nick Williams e Stuart McClosky . O ensaio de Josh Navidi ainda colocou os Blues no jogo, mas os galeses tiveram que se contentar com o ponto de bónus defensivo. O Ulster conta agora com 14 vitórias consecutivas no Kingspan Stadium.

 

Leinster-Glasgow Warriors (23-18)

A primeira parte foi do Glasgow, com fases montadas e boa defesa, mas apenas conseguiram um ensaio por Zander Fergerson num pick and go aos 13’. Aos 42’, depois de uma jogada de insistência, Luke MacGrath faz toque de meta para, seis minutos depois, Taqele Naiyaravoro impor todo o seu poderio físico e marcar mais um ensaio para os ecoceses. Alguns minutos depois, Naiyaravoro voltou a estar em evidência, mas por maus motivosao ser responsável por um ensaio de penalidade a favor dos irlandeses, que custou mais uma derrota ao Glasgow.

 

Ospreys-Connacht (16-21)

Foi um jogo bem disputado com a liderança repartida. Os Ospreys abriram as hostilidades com Dan Baker e o Connacht respondeu através de Matt Healy. No reatar da segunda parte, Bundee Aki dilatou a vantagem irlandesa. O Connacht foi a equipa que produziu mais jogo ofensivo, mas a defesa esteve sempre muito exposta e Justin Tipuric aproveitou para marcar o segundo ensaio dos Ospreys. As penalidades convertidas por Craig Ronaldson e Jack Carty acabariam por fazer a diferença final e dar mais uma vitória ao Connacht.

 

Zebre-Edinburgh (19-11)

Depois de quatro vitórias, Edinburgh apresentou-se displicente em Parma, para defrontar o Zebre, último classificado, e pagou caro por essa atitude, apesar do ensaio do asa Hamish Watson na primeira parte. Nos últimos 40 minutos, os escoceses deixaram-se dominar completamente pelo Zebre, que chegariam ao ensaio por Dion Berryman, não mais deixando fugir a vantagem.