DR
Foto
DR

Munster foge à concorrência

Numa quarta jornada com bons jogos e muitos ensaios, confirmou-se o bom momento de forma de Edinburgh e Scarlets neste início de época.

Com uma vitória bonificada contra os Cardiff Blues, o Munster descolou de Edinburgh e Scarlets, as outras duas equipas que venceram as quatro jornadas disputadas na Guiness Pro 12. Connacht, apesar de já ter perdido um jogo, está a apenas um ponto da liderança.

 

 

PÚBLICO -
Foto

Connacht-Zebre (34-15)

Foi uma vitória fácil no Sportsground, com o ponto de bónus ofensivo a ser adquirido ainda na primeira parte pelos irlandeses. Connacht apostou muito no jogo de pontapés para o espaço e driving mauls, elementos que eventualmente deram origem a ensaios. O primeiro ensaio foi o mais exemplar: turnover perto da sua própria linha de ensaio, pontapé para a ponta de Craig Ronaldson e perseguição e ensaio de Matt Healy. Pelo Zebre, o formação Luke Burgess e o ponta direito Dion Berryman foram os mais esclarecidos, tendo a equipa Italiana conseguido dois ensaios em terreno Irlandês.

 

Warriors-Dragons (29-15)

Os Dragons foram os primeiros a marcar, através do segunda-linha Rynard Landman, mas os Glasgow Warriors acabariam por tomar conta do jogo e, apesar de dois sin bins, apenas permitiriam mais um ensaio aos galeses, através de Ashton Hewitt. As formações estáticas dos escoceses estiveram irrepreensíveis e o pilar Zander Ferguson e o asa Chris Fusaro beneficiaram dessas situações de jogo para marcar ensaio. Junior Bulumakau foi o autor do terceiro toque de meta e, ao cair do pano, o bónus chegaria para os campeões em titulo com o ensaio de Simone Favaro, na sequência de um electrizante driving maul. Alex Dunbar e Naiyaravoro fizeram as despesas do jogo, com muita fisicalidade, boas defesas e boas arrancadas.

 

Scarlets-Leinster (25-14)

No primeiro jogo pelos Scarlets, depois das boas exibições pelo Canadá no Mundial 2015, DTH Van Der Merwe fez um bis, com o primeiro ensaio a resultar de uma intercepção e uma longa corrida até fazer o toque de meta. O primeiro ensaio dos galeses surgira por James Davies, com a intercepção de DTH logo de seguida. Os primeiros pontos do Leinster apenas surgiram na hora de jogo, através do ensaio do defesa Isa Nacewa. Na continuação de um domínio irlandês, James Tracy fez um segundo ensaio, insuficiente para evitar a derrota.

 

Edinburgh-Ulster (16-10)

Um jogo que se baseou muito na troca de penalidades, com um râguebi lento e sem grande energia. No entanto, a pressão e persistência do Ulster valeu-lhes um ensaio por Sean Reidy. A equipa de Edimburgo respondeu acelerando o seu jogo e o asa Hamish Watson, que fez um jogo muito combativo, acabaria por ser o responsável por fazer toque de meta que selou a vitória escocesa.

 

Munster-Blues (35-27)

Num jogo com oito ensaios - cinco para Munster e três para Blues -, as defesas de ambas as equipas estiveram extremamente permissivas. Com dois ensaios para cada lado ao intervalo, os Cardiff Blues reataram com vantagem e conseguiram o seu derradeiro ensaio com um belo trabalho do segundo-centro Tom Isaacs, ao deslizar da ponta para o centro e fazer toque de meta.  O pack do Munster fez estragos e Mike Sherry, o talonador, foi responsável por um bis.

 

Treviso-Ospreys (22-25)

A primeira vitória dos Ospreys foi bem sofrida frente a um Treviso batalhador. Num empate a três ensaios e num jogo taco a taco, de salientar a boa troca de bola dos Ospreys, mas com a defesa a criar buracos enormes. A jogada que deu origem ao ensaio do defesa de Treviso, Jayden Hayward, foi pura troca de bola em corrida, cortesia de Chris Smylie e Andrea Pratichetti.