Enorme prova de força dos All Blacks

A Nova Zelândia despachou a França com um claro 62-13 e vai defrontar a África do Sul na meia-final do Mundial 2015

Sem deixar sombra para dúvidas, a Nova Zelândia alcançou o apuramento para as meias-finais do Mundial 2015 com uma exibição autoritária e repleta de qualidade. Frente a uma França que lutou com as armas que tinha, os All Blacks marcaram nove ensaios e selaram o apuramento para as meias-finais, onde vão defrontar a África do Sul, com uma vitória contundente, por 62-13.

 

Desta vez a França não teve qualquer hipótese. Especialistas em provocar dissabores aos All Blacks, os gauleses até tiveram uma atitude positiva durante a primeira parte, mas a Nova Zelândia esteve implacável em quase todas as fases de jogo e quer pela força do seu pack avançado, quer pela qualidade e agilidade das suas linhas-atrasadas, conseguiram quebrar a resistência francesa.

PÚBLICO -
Foto

 

PÚBLICO -
Foto

Os neozelandeses colocaram desde o pontapé de saída uma enorme pressão sobre o portador da bola e, aos 11’, acabaram por tirar proveito disso: Michalak foi lento a colocar a bola ao pé no meio campo adversário e permitiu o contra de Brodie Retallick, que aproveitou a oferta do abertura francês marcar o primeiro ensaio. Na sequência da jogada, Michalak saiu lesionado, queixando-se de uma lesão muscular.

 

A França procurou reagir e por momentos conseguiu equilibrar o jogo, mas, aos 23’, Milner-Skudder furou a defesa gaulesa e marcou o segundo ensaio. Seis minutos depois, um offload genial de Carter para Savea permitiu ao ponta dos Hurricanes fazer o terceiro toque de meta do jogo (24-6).

 

Embora o jogo estivesse praticamente entregue, Les Bleus ainda marcaram um ensaio pelo seu grande líder (Louis Picamoles), mas dois minutos depois, Julian Savea levou tudo à frente e fixou o resultado ao intervalo em 29-13.

 

E a segunda parte foi um calvário para a França. Em superioridade numérica (amarelo a Picamoles), os All Blacks fizeram o quinto ensaio aos 50’ (Jerome Kaino) e os franceses desmoronaram de vez. Com mais quatro toques de meta (Savea, Read e Kerr-Barlow por duas vezes), os neozelandeses alcançaram a segunda maior vitória de sempre contra o “XV de France” – a mais dilatada foi 61-10 - e deram uma enorme prova de força para o jogo das meias-finais do próximo sábado, contra a África do Sul.

 

 

Números do Nova Zelândia-França (62-13)

 

Ensaios:

Nova Zelândia – 9 (Retallick, 11’; Milner-Skudder, 23’; Savea, 29’, 38’ e 59’; Kaino, 50’; Read 64’; Kerr-Barlow, 68’ e 71’ )

França – 1 (Picamoles, 36’)

 

Penalidades convertidas:

Nova Zelândia – 1

França – 2

 

Posse de bola:

Nova Zelândia – 51%

França – 49 %

 

Ocupação de terreno:

Nova Zelândia – 52 %

França – 48 %

 

Metros percorridos:

Nova Zelândia – 746

França – 388

 

Placagens realizadas:

Nova Zelândia – 104

França – 96

 

Placagens falhadas:

Nova Zelândia – 20

França – 23

 

Formações ordenadas a favor:

Nova Zelândia – 3 ganhas, 0 perdidas

França – 4 ganhas, 0 perdidas

 

Alinhamentos conquistados ao adversário:

Nova Zelândia – 4

França – 0

 

Penalidades concedidas:

Nova Zelândia – 9

França – 5