Benfica exige 14 milhões a Jorge Jesus

Clube lança processo judicial contra o ex-treinador, acusado de ter levado software para o Sporting.

Foto
Jorge Jesus trocou o Benfica pelo Sporting no Verão Patrícia de Melo Moreira/AFP

O Benfica acusa Jorge Jesus de ter estado a trabalhar para o Sporting durante o último mês de contrato com o clube da Luz e exige uma indemnização de 14 milhões de euros.

De acordo com a revista Sábado, que teve acesso à acção judicial entregue no Tribunal do Barreiro no dia 13, o Benfica acusa o técnico de ter levado software do clube da Luz para o rival de Alvalade.

Jesus é ainda acusado de ter levado informações confidenciais do Benfica (relativas à prospecção de jogadores) e de ter mantido contactos telefónicos com funcionários do Sporting, quando ainda era treinador dos “encarnados”.

O contrato de Jorge Jesus com o Benfica terminou a 30 de Junho deste ano, mas logo no início desse mês foi anunciado como treinador do Sporting. E a 12 dias do fim do contrato fez uma longa visita à Academia do Sporting, em Alcochete, algo que o Benfica também irá utilizar neste processo judicial.

Qualificando a saída de Jesus para o Sporting como um "vexame", "traição" e "deserção", o Benfica considera que ela provoucou "danos gravíssimos para a honra, o bom-nome e o prestígio desportivo do clube" defendendo que "no plano dos danos não patrimoniais, não tem limite o valor da lesão" protagonizada pelo técnico. Nessa medida, os "encarnados" exigem o pagamento "de um valor simbólico de 14 milhões de euros" por danos não patrimoniais, numa aritmética que contabiliza o número de adeptos do clube em 14 milhões e daria um euro de indemnização por cada um.

Numa acção que coloca em discussão temas como o dever de lealdade se prolongar ou não para lá do fim do vínculo laboral, o Benfica sustenta ainda que Jorge Jesus rescindiu no início de Junho e de forma "unilateral e sem justa causa" o contrato de trabalho que o ligava ao clube até ao final desse mês, devendo, por isso, pagar 7,5 milhões de euros de indemnização. Esta tese assenta na convicção benfiquista de que Jesus assinou um novo contrato com o Sporting a 5 de Junho (portanto, quando ainda estava ligado ao Benfica), socorrendo-se de notícias publicadas nos jornais e do comunicado do Sporting à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) no qual o clube revelou que "chegou a acordo com o sr. Jorge Jesus para a celebração de um contrato de trabalho desportivo como treinador da sua equipa principal sénior de futebol". Isto para além da conferência de imprensa de Bruno de Carvalho, nesse dia 5 de Junho, em que o presidente do Sporting anuncia formalmente a contratação de Jesus.

Pirataria informática

Na acusação trabalhada pela sociedade de advogados Correia, Seara, Caldas, Simões e Associados, argumenta-se ainda que Jorge Jesus começou logo no início do mês de Junho a trabalhar como treinador do Sporting, adiantando-se que o técnico estabeleceu mesmo contactos com um funcionário "leonino" no sentido de saber detalhes sobre a equipa de futebol.

As "águias" avançam ainda com outra acusação. Segundo o clube da Luz, Jorge Jesus levou conhecimentos técnicos e logísticos para o Sporting. Os "encarnados" dizem mesmo que Jesus praticou pirataria informática, copiando "para o seu computador pessoal os programas informáticos [do Benfica]".

Sugerir correcção