Na cabeça de David Chipperfield

Arquitecto britânico tem uma retrospectiva em Madrid com mais de 30 obras representadas.

Foto
Até 24 de Janeiro, o arquitecto britânico é objecto de uma retrospectiva em Madrid INGRID VON KRUSE

Uma exposição que percorre a carreira de David Chipperfield, uma exposição que põe a nu a obra do conceituado arquitecto britânico: Essentials. David Chipperfield Architects 1985-2015 inaugurou na semana passada no Museu ICO, em Madrid, ilustrando e documentando mais de 30 projectos realizados por todo o mundo.

Mais do que resumir a sua trajectória, esta exposição, que ficará em Madrid até 24 de Janeiro de 2016, dá-nos a descobrir a visão que Chipperfield tem da arquitectura, a sua percepção do espaço e a sua relação com as obras. O arquitecto de 61 anos é hoje uma das referências do minimalismo urbano. Em Madrid estão representados alguns dos seus mais importantes projectos, como o Neues Museum, em Berlim, que em 2011 lhe valeu o Prémio Mies van der Rohe, atribuído pela União Europeia. O objectivo da exposição, segundo o comissário Fulvio Irace, professor na Universidade de Milão, é aproximar o público do “universo arquitectónico de David Chipperfield tendo em conta a fusão da tradição com a inovação”.

O Museu Jumex, na Cidade do México, a galeria alemã Am Kupfergraben 10, em Berlim, e edifícios públicos espanhóis como a Cidade da Justiça de Barcelona ou o Veles e Vents, em Valência, são outros dos projectos aqui documentados – todas as maquetes são acompanhadas por textos do próprio arquitecto.

“Com esta nova exposição, o Museu ICO continua a sua tarefa de dar a conhecer o trabalho de grandes mestres da arquitectura contemporânea, assim como de aproximar a arte e a cultura nacional e internacional à sociedade espanhola”, disse ao El Mundo Mónica de Linos, directora da Fundação ICO.

David Chipperfield formou-se na Architectural Association School of Architecture de Londres e começou a trabalhar na década de 1980 ao lado de Richard Rogers e Norman Foster, até criar o seu próprio atelier em 1984. Hoje, além de manter um atelier em Londres, Chipperfield divide-se ainda entre Berlim e Milão.