Os Salva Runners vêm aí!

A nova profissão que vai mudar as corridas dos iniciados.

Foto

Quem começa a correr na rua tem sempre a dificuldade de saber se tem pernas para voltar.

Às vezes, quando me entusiasmo nos quilómetros da corrida, penso que estará do outro lado, na "meta", alguém que me vá salvar daquela azáfama depois de 10km e me vai rebocar até à chegada. Tal como é feito na peregrinação. Quando fui a Santiago de Compostela a pé, alguém me foi buscar de carro. É a mesma coisa que nós, iniciados na corrida, pedimos: um reboque por favor!



Ora se definimos um objectivo e corremos metade para lá metade para cá corremos o risco de:


1º Ou corremos menos, porque estamos cheios de energia mas entretanto chegámos à meta;


2º Ou não temos mesmo pernas para chegar ao destino. Não há quem entenda.



Por exemplo na praia é a mesma coisa. Quem nada mais do que é suposto há um nadador salvador. E para quem fica sem "pé" (pernas) para voltar depois de uma corrida? Pois é! Como é que ninguém se lembrou disto antes?


Quer dizer, aposto que todos nós já pensámos que bom que era que alguém me viesse buscar, não?



As autarquias que promovem activamente o desporto, tendo em conta toda esta crescente tendência das corridas, poderia criar os “Salva Corridas” ou “Salva Runners”. Assim, as pessoas que estão a iniciar a corrida atém poderiam ir mais longe. 



A ideia é ter, numa zona limitada, alguém com um veículo estilo "segway" para nos trazer de volta ao destino. 



10km é para meninos, é! É para nós meninos e meninas que estamos a iniciar a corrida. Quem já corre 20 ou 40kms, com uma perna às costas, pode candidatar-se à função de Corredores Salvadores ou Salva Corridas.



Os aspirantes a Runners iniciam a sua corrida, num local de "início" levando consigo um dispositivo, como quem vai ao Honorato do Mercado da Ribeira, que quando o pedido está pronto o aparelho vibra, dando sinal que pode ir buscar a sua encomenda. Ora, voltando aos novos Runners, estes levariam consigo um sinalizador deste género e quando estivessem "sem pernas para voltar", activariam o dispositivo e voilà…está pronto a ser rebocado. Pode vir Sr Salva Runners!



O transporte pode ser singular mas por uma questão económica e até social sugiro que seja um transporte que dê para duas ou mais pessoas a reboque. Quase certo que estaremos "esbaforidas" e sem folgo para falar (se assim não for é sinal que temos "pé" para voltar) mas sempre se cria a hipótese de gerar novas amizades e quem sabe daí não sai um grupo de corredores à séria, deixando de usar a pista de iniciação dando oportunidade a novos corredores.



Começamos assim um incentivo a novos Runners.


Vamos a isso?



Dica de Teresa Almeida
Aspirante a Runner


Promotora de Saúde e Bem-Estar

Portugal em Forma

http://www.portugalemforma.com

conteúdos produzidos por Pressinform