DR
Foto
DR

Campeão tropeça logo na primeira jornada

Privado de quase duas dezenas de jogadores, os Glasgow Warriors perderam em casa contra os Scarlets no arranque do Pro 12

Na abertura da Guiness Pro 12, a liga celta, ficou claro que os Glasgow Warriors vão ter muitos problemas nesta primeira parte da época. Extremamente depauperado pela presença dos seus atletas no Mundial 2015 – só na selecção da Escócia há 16 jogadores dos Warriors -, o campeão da Pro 12 foi batido em casa pelo modesto Scarlets. Para os irlandeses a prova começou melhor e apenas Leinster não venceu. Cardiff Blues estreou-se com uma robusta vitória frente ao Zebre (61-13).

 

Connacht-Newport Gwent Dragons (29-23)

PÚBLICO -
Foto

Sem conseguir vencer em Galway desde 20004 e apesar de contar com cinco estreias, os Dragons mantiveram o jogo equilibrado e disputado até ao fim frente aos irlandeses. Connacht começou melhor com três penalidades convertidas até ao  minuto 21, através do abertura Jack Carty, e na sequência de um driving maul o estreante neozelandês Nepia Fox-Matamua fez toque de meta para os irlandeses. Com 14-3 ao intervalo, coube à equipa de Pat Lam surgir com outro ímpeto na segunda parte, recuperando com ensaios de Sarel Pretorius e as penalidades de Jason Tovey. O ponta direito Danie Poolman marcou ensaio pelo Connacht, James Thomas respondeu pelos Dragons e Fionn Carr acaba com a troca de “mimos” e com o seu ensaio garantiu a vitória para Connacht.

 

Ulster-Ospreys (28-6)

No Kingspan Stadium, o Ulster não concedeu facilidades e derrotou com ponto de bónus ofensivo os galeses dos Ospreys. Rob Herring abriu a contagem dos quatro ensaios para o Ulster aos 5’, depois de uma boa perfuração do asa Willie Faloon. Ainda na primeira parte, o homem do jogo, Stuart McClosky, fez um ensaio após uma boa corrida e um hand-off fora de série. Na ausência de Ruan Pienaar e Paddy Jackson, McClosky ficou com a responsabilidade dos pontapés, tendo conseguido oito pontos. A segunda parte foi mais equilibrada, mas os ensaios de Wiehahm Herbst e de Luke Marshall (este aos 78’), confirmaram a vitória

do Ulster.

 

Edimburgh-Leinster (16-9)

Um jogo sem muita emoção na primeira parte, com Leinster a fazer pressão mas sem conseguir frutos e o 3-3 ao intervalo foi o que se pôde arranjar. Na segunda parte, houve mais disputa mas o duplo ensaio do “11” Damien Hoyland garantiu o triunfo escocês. O Leinster costuma começar mal as épocas, mas desta feita, deixou-se vencer com demasiada facilidade frente a um modesto Edimburgh.

 

Glasgow Warriors-Lanelli Scarlets (10-16)

Foi uma super desfalcada equipa de Glasgow aquela que entrou no Scotstoun Stadium, para tentar a 21.ª vitória consecutiva em casa, mas as segundas opções escocesas não são tão esclarecidas como as primeiras. Os Scarlets apresentaram-se com uma equipa muito jovem e marcaram bem o passo na primeira parte, com ensaio do “6” Aaron Shingler e do “14” Hadleigh Parkes. Com uma vantagem de 13-0 ao intervalo, os galeses não conseguiram suster a pressão dos escoceses, que com ensaios de Michael Cusack e Glenn Bryce, ainda conseguiram reduzir a diferença. Não houve conversões para nenhum dos lados, o que atesta da falta dos pontapeadores habituais. Bom jogo de John Barclay, o “8” e man of the match dos Scarlets, e ainda do “13” Regan King.

 

Munster-Benetton Treviso (18-13)

Jogo muito morno, com a 10ª vitória em casa do Munster, que começou a primeira parte em desvantagem com o ensaio do asa Dean Budd do Treviso. Na segunda parte CJ Stander, capitão e “8” dos irlandeses, fez o bis e garantiu os quatro pontos para Munster, que vai ter de se esforçar mais na próxima semana, quando defrontar os Ospreys.

 

Cardiff Blues-Zebre (61-13)

Num jogo de sentido único, ao intervalo os Blues já tinham o ponto de bónus ofensivo garantido. Numa partida com 12 ensaios, 11 vieram do lado galês, que não teve dificuldades em ultrapassar o Zebre. O “6”Josh Turnbull e o “10” Rhy Patchell fizeram um hat-trick; bis para o “7” Josh Navidi e o “14” Alex Summerhill e ainda um ensaio do “11” Tom James. Pelo Zebre, marcou Ulrich Beyers na segunda parte.

Sugerir correcção