Frutos secos são excelentes para treinos prolongados

O papel importante dos frutos secos na alimentação dos corredores, por Paula Martins, nutricionista e nutricoach em NutriSABER.

Foto

Os frutos secos nem sempre foram considerados importantes numa alimentação saudável, como hoje acontece.

Antigamente, eram desaconselhados pelo elevado teor de gordura que possuem. Realmente, a maioria dos frutos secos possui cerca de 80% de gordura. No entanto, esta gordura não é prejudicial quando se fala em risco cardiovascular, pelo contrário, esta gordura é na sua totalidade monoinsaturada e polinsaturada. Significa portanto, que contribui para uma diminuição dos níveis de colesterol, protegendo assim as artérias, prevenindo problemas cardíacos.

A sua riqueza nutricional não diz respeito só à gordura, destacando-se também as proteínas, bem como as vitaminas e os minerais.

A sua porção proteica é bastante importante principalmente devido à presença da arginina, que é um aminoácido necessário na produção de óxido nítrico, que por sua vez ajuda a relaxar e a dilatar as artérias, diminuindo a inflamação das mesmas. Assim sendo aos frutos secos também lhes pode ser atribuída uma acção anti-inflamatória.

As principais vitaminas fornecidas pelos frutos secos são as vitaminas do complexo B e a vitamina E. São também uma boa fonte de minerais, dos quais se destacam o ferro, o magnésio e o cálcio, mas também o zinco, o fósforo, o selénio e o cobre. 

Nos praticantes de corrida, os frutos secos assumem um papel muito importante como fontes de cálcio e magnésio, uma vez que estes minerais são importantes na protecção dos ossos e articulações, onde muitas das vezes ocorrem lesões.

São considerados antioxidantes pela vitamina E e pelo selénio. Nestes atletas, é necessário que a sua alimentação seja rica em antioxidantes, para que o organismo fique liberto de substâncias tóxicas, contribuindo também para a neutralização da acidez do corpo. Ao neutralizarem os radicais livres, estão também a prevenir um envelhecimento precoce das células.

Muitos dos benefícios que lhe são atribuídos também têm a ver com a presença de esteróis vegetais, fitoestrogénios e outros fitonutrientes.
 
Também contém uma grande quantidade de fibra, que contribui para uma melhoria do trânsito intestinal.
 
O alerta que deve ser feito diz respeito ao facto da ingestão de frutos secos dever ser moderada para casos de obesidade ou excesso de peso, uma vez que cerca de 100g de frutos secos têm em média 600Kcal. Dando ainda especial atenção aos frutos desidratados, uma vez que têm menos água e mais açúcar, sendo portanto mais calóricos que os respectivos frutos em fresco. Os hipertensos devem também evitar as variedades salgadas existentes no mercado.
Concluindo, consumidos com moderação são alimentos completos e saudáveis.  

Na alimentação de um desportista, nomeadamente praticante de corrida, os frutos secos podem e devem entrar no seu regime alimentar. Acrescento ainda, que eles tanto se podem encontrar nas refeições pré-treino como pós-treino. Dependendo dos alimentos que lhes vamos associar. Esta condição é-lhe atribuída pela sua riqueza nutricional.


[email protected]

www.nutrisaberpaulamartins.blogspot.com

Paula Martins – Nutricionista e Nutricoach, autora do site NutriSABER, com Programas de nutricoaching, educação alimentar, perda de peso, mudanças de estilo de vida, melhoria da auto-estima e também a trabalhar com Eneagrama na Nutrição.

conteúdos produzidos por Pressinform