Yoga de Alta Performance

A prática de Ashtanga Yoga, fluida e exigente, eleva a capacidade do corredor. – Pedro Mendes, especialista em Yoga de Alta Performance.

Fotogaleria
Fotogaleria

O corpo é o veículo do atleta, seja ele profissional ou amador.

O descanso e recuperação (potenciados pelo repouso e fisioterapia), o treino de mental skills (através da psicologia da performance), a correcta ingestão de alimentos e Hidratação (Nutrição), bem como o Desenvolvimento das Qualidades Físicas (Yoga de Alta Performance – equilíbrio neuromuscular, treino de força e de flexibilidade), são ferramentas que se interligam de modo a simplificar as exigências do Running. 

Capacitar o atleta de progressão, com níveis superiores de resistência à frustração, de saúde e bem-estar equilibrados e com benefícios para o dia-a-dia na arte de trabalhar o corpo e a mente, é o objectivo de todas as disciplinas que, num treino programado de forma concertada, actuando em sintonia, elevam a experiência do Running.

Porque corremos? Pelo prazer de correr?

Mas sem preparação, o Running é potencialmente provocador de lesão. A descoordenação motora, falta de flexibilidade e força na musculatura profunda, rigidez e encurtamento dos tendões, incapacidade de resposta nervosa em ângulos de aplicação de força superiores ou inferiores ao ângulo óptimo durante o movimento, facilitam as lesões muito conhecidas entre os runners ou dos desportos onde a corrida é necessária. 

As distensões musculares, as síndromas da banda iliotibial, as fascites plantares, as fracturas de stress, as tendinites e canelites, as lombalgias, entre outras, mesmo que agudas, podem facilmente incapacitar o atleta/praticante durante 2 a 9 semanas.

A prática de Ashtanga Yoga, fluida e exigente, coordena respiração e movimento. Objectiva o fortalecimento e flexibilização de cada segmento do corpo, fazendo frente à acção da força da gravidade, potenciando o core como motor das acções, coordenando-o com o treino respiratório, em tamanho, velocidade e intensidade. 

Este trabalho respiratório tem implicações metabólicas de controlo dos impulsos primários de stress, ansiedade e sintomas de depressão, que aumentam a produção de agentes inflamatórios, facilitadores do aparecimento de lesão ou agravamento das mesmas. O significativo aumento da presença de Beta-endorfinas com a prática de Yoga tem um efeito anti-inflamatório e impactante no sistema circulatório e imunitário, e induz estados de prazer, euforia e confiança, que permitem a execução de tarefas apesar das adversidades, internas ou externas. 

Viver o Momento ou Trabalhar pelo prazer de trabalhar são frases que ouvimos constantemente, mas será que as experienciamos?

A sensação de bem-estar conecta a mente com a única coisa que controlamos, o corpo. Retirar o foco da meta, permite levar o processo até à sua concretização com o menor nível de sofrimento associado. Baixar as expectativas do resultado, canalizar o foco e dispêndio energético para o processo, são as maiores aquisições com o treino de Yoga de alta performance direccionado aos runners. Mais do que o corpo, a mente, torna-se ágil e flexível, saudável e forte, com respostas energicamente adequadas e funcionais perante os desafios que temos de superar, não só no running, mas todos os dias.

Tenha uma experiência da mente pelo corpo com Yoga e corra mais e melhor. 


Pedro Mendes
Especialista em Yoga de Alta Performance; Mestrando em Treino de Alto Rendimento e colaborador do Laboratório de Comportamento Motor (FMH-UL)

Programa UP Running - Coordenação Cientifica Dra. Ana Bispo Ramires
Coloque-nos a sua questão: [email protected]