Houve menos lixo no cortejo da Queima de Coimbra

Autarquia faz balanço positivo. Movimento cívico considera que objectivos da campanha foram alcançados.

A Comissão de Praxes admite que houve excessos “impossíveis de controlar”
Foto
A Comissão de Praxes admite que houve excessos “impossíveis de controlar” Ana Luísa Silva

Foram recolhidas, no total, 18 toneladas de resíduos sólidos durante o cortejo da Queima das Fitas de Coimbra, o que significa uma redução de cerca de 3,5 toneladas em relação aos números do ano anterior.

A quantidade de resíduos recolhida ficou abaixo das 20 toneladas avançadas a título provisório na reunião do executivo camarário do início da semana. Ao PÚBLICO, o vereador Carlos Cidade explicou que esta diminuição se deve a uma conjugação de factores. “Para além das campanhas de sensibilização, dos meios de deposição disponibilizados pela câmara e do menor número de carros [alegóricos], a crise reflecte-se também na produção de resíduos”, sustenta.

Segundo o responsável pela pelouro do ambiente, foi feito um reforço de 52 contentores ao longo do percurso do cortejo, para além dos pontos de recolha habitualmente dispostos na cidade. Envolvidas na recolha do lixo estiveram 68 pessoas (entre funcionários do município e da empresa de recolha) e 17 meios mecânicos.

Superior ao ano passado foi a recolha de vidro, que chegou aos 580 quilos. Carlos Cidade reforça a importância de, no decurso do cortejo, se ter procedido à recolha de garrafas inteiras. Daí o valor ser mensurável.

Também para o movimento cívico promotor da campanha “A Coimbra chegou uma nova tradição… Não atirar lixo para o chão”, o balanço é positivo. “Pelas pessoas com quem falei durante o cortejo, concluí que estavam identificados com a mensagem do cartaz”, sublinha Fernando Jorge Paiva. A razão de ser do movimento é “criar dinâmicas para que as coisas funcionem por si só” e tal começa a acontecer, considera.

O representante do movimento que tinha como principal objectivo evitar que tanto plástico atingisse o rio Mondego considera que o resultado foi alcançado, “nomeadamente no Parque Verde”, e avançou que foram recolhidos sete carrinhos de compras ao longo do cortejo.

Os cartazes do movimento vão continuar afixados nos contentores até à conclusão das festividades, na madrugada de 15 de Maio, e o movimento pretende continuar com este tipo de iniciativas nas próximas festas académicas.