DR
Foto
DR

Fraunhofer vai premiar os melhores trabalhos de investigação

Os projectos sujeitos a concurso devem ter uma utilidade prática relacionada com as tecnologia da informação e comunicação, multimédia ou ciências relacionadas

Dirigido a estudantes e investigadores do ensino superior, o Fraunhofer Portugal Challenge quer valorizar os melhores trabalhos de investigação científica com um prémio pecuniário que consiste em 9 mil euros a dividir pelos seis vencedores. Os projectos sujeitos a concurso devem ter uma utilidade prática relacionada com as tecnologia da informação e comunicação, multimédia ou ciências relacionadas.

Nesta sexta edição, a Fraunhofer Portugal — a maior organização de investigação aplicada na Europa — ambiciona melhorar a ligação entre a indústria e a comunidade científica ao premiar investigadores jovens que sejam capazes de dar respostas a um conjunto de necessidades da população através da tecnologia. 

No âmbito do concurso, serão encontrados seis finalistas com trabalhos baseados em teses de mestrado ou em teses de doutoramento: os três melhores de cada uma destas categorias serão premiados.

PÚBLICO -
Foto
Os vencedores na vertente mestrado no ano passado

Em edições anteriores, ideias como antenas embebidas no corpo humano, um sistema de identificação de células cancerígenas e, até, motores de busca inovadores foram premiadas.

PÚBLICO -
Foto
Os vencedores na vertente doutaramento no ano passado

Apesar de não existir um limite de idade, a tese de investigação precisa de ser apresentada e defendida no ano lectivo anterior ou no ano corrente. O concurso arrancou dia 13 de Abril e as candidaturas podem ser submetidas até dia 22 de Julho de 2015.

Ricardo Eleutério foi o vencedor da categoria de mestrado da edição do ano passado deste prémio: o jovem investigador recebeu dois mil euros para desenvolver uma técnica não invasiva e indolor que detecta metástases do cancro da mama na região axilar. 

O concurso é organizado pelo entro de investigação Fraunhofer AICOS (Research Center for Assistive Information and Communication Solutions) desde 2010 e faz parte da Fraunhofer Portugal, uma associação sem fins lucrativos que se encontra sediada no Porto e que foi reconhecida pelo Estado português como Pessoa Coletiva de Utilidade Pública. A sua criação deveu-se à acção conjunta da Fraunhofer-Gesellschaft, a maior organização de investigação aplicada da Europa, e à Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã. O Fraunhofer AICOS, que foi o primeiro centro de investigação da Fraunhofer em Portugal, é fruto da parceria estratégica entre a Fraunhofer-Gesellschaft e a Universidade do Porto.