A inspecção à Santa Casa e as presidenciais: Santana não acredita em bruxas, mas…

Santana Lopes associa inspecção à Santa Casa a uma sua eventual candidatura a Belém. E até mete Portas ao barulho.

Foto
Santana Lopes vai ficar na Santa Casa por mais três anos Daniel Rocha

No seu habitual espaço de comentário na SIC Notícias em parceria com o socialista António Vitorino, Santana Lopes foi confrontado com o facto de alguns comentadores afirmarem que a inspecção foi ordenada devido ao facto de ele se posicionar como candidato à presidência da República.

Santana começou por afirmar que a decisão não é do Governo mas do ministro Segurança Social, Pedro Mota Soares, que tutela a Santa Casa. E acrescentou: “Não acredito [na ligação inspecção/presidenciais], li isso, há quem me diga isso, não quero acreditar.”

O presidente da Santa Casa diz que tomou conhecimento da inspecção há duas semanas (“e não foi pelo ministro, que não me disse nada sobre isto”) e que ela foi pedida com muito urgência e que era para durar oito semanas. Santana lembrou então que alguém que estava com ele comentou: “Oito semanas? Isso vai dar a meio de Março. Você não tinha dito que se fosse candidato apresentaria a candidatura em Março ou Abril? Não acredito agora que se ande a brincar com coisas sérias.”

Santana Lopes lembrou que só houve uma inspecção à Santa Casa com Maria José Nogueira Pinto, era Manuela Ferreira Leite ministra da tutela. 

“Deus nosso senhor sabe e os crentes e não crentes saberão os esforços que eu tenho feito para manter a Santa Casa preservada, pronto, de agitação. E não tenho posto cá fora as medidas da moralização que tenho tentado fazer”, acrescentou, dando vários exemplos.

Santana Lopes acabou ainda por meter Paulo Portos ao barulho nesta situação, afirmando sempre não acreditar que esta fiscalização possa ter a ver com uma eventual candidatura presidencial. “Dizem-me também às vezes que no CDS fazem alguma coisa sem o dr. Paulo Portas saber? Não, numa coisa destas custa-me a crer. Mas muitas pessoas dizem-me: ‘Não, ele sabe de tudo’. Mas quer dizer… não acredito. Só se comesse muito queijo com o que tem passado pela vida não ia fazer partidas destas a ninguém.”

O comentário final coube a António Vitorino, também apontado como possível candidato presidencial do PS: “Tenho a vaga sensação que abriu a época de caça às rolas e de caça aos pré-candidatos.”

Várias notícias de diversos órgãos de comunicação social têm dado conta que o CDS-PP preferia Marcelo Rebelo de Sousa a Santana Lopes como candidato da direita a Belém.