Líderes do partido grego Aurora Dourada vão ser julgados

Processo envolve 72 pessoas, na maioria membros da Aurora Dourada, acusadas de “participação em organização criminosa”.

Nikos Michaloliakos é um dos 72 acusados que deverá ir em breve a julgamento
Foto
Nikos Michaloliakos é um dos 72 acusados que deverá ir em breve a julgamento Louisa Gouliamaki/AFP

Os juízes do tribunal de recurso de Atenas decidiram nesta quarta-feira que 72 pessoas por participação em organização criminosa ligada ao partido de extrema-direita Aurora Dourada vão ser julgadas.Entre os acusados há vários dirigentes e ex-deputados, assim como o fundador e líder do partido, Nikos Michaloliakos.

A acusação principal é a “participação em organização criminosa”, mas também serão julgados por tentativa de assassínio, posse de armas e violência racista. A investigação começou há 15 meses, depois do músico anti-fascista Pavlos Fyssas ter sido assassinado na rua por um apoiante da Aurora Dourada, em Setembro de 2013.

A data do julgamento ainda não foi marcada, mas deverá ocorrer antes de Maio, que é quando chega ao fim a detenção provisória do líder Michaloliakos, do antigo porta-voz do partido Ilias Kasidiaris, e de cinco outros deputados do partido detidos, diz a AFP. Segundo o diário grego Kathimerini, os acusados incorrem em penas que podem ir até aos 20 anos de prisão.

O partido de extrema-direita Aurora Dourada entrou pela primeira vez no Parlamento grego nas legislativas de 2012, impulsionado pela crise. Nas eleições há duas semanas ficou em terceiro lugar (atrás do Syriza e da Nova Democracia) elegendo 17 deputados no Parlamento de 300. Destes, 13 foram reeleitos a 25 de Janeiro.

Nos últimos anos, tem sido ligado a diversos actos de violência contra imigrantes e militantes de esquerda. O partido tem laivos neonazis – o seu símbolo parece uma suástica e militantes já foram filmados a fazer a saudação nazi.