A Organização das Nações Unidas declarou 2015 o Ano Internacional da Luz Bobby Yip/ Reuters
Foto
A Organização das Nações Unidas declarou 2015 o Ano Internacional da Luz Bobby Yip/ Reuters

Português no Ano Internacional da Luz da UNESCO, em Paris

Nuno Maya vai participar na cerimónia de abertura do Ano Internacional da Luz, com uma projecção visual na fachada da sede da UNESCO

O artista multimédia português Nuno Maya vai participar, no dia 19, em Paris, na cerimónia de abertura do Ano Internacional da Luz, com uma projecção visual na fachada da sede da UNESCO, organizadora da iniciativa. Nuno Maya explicou à agência Lusa que foi convidado a fazer um espectáculo multimédia, em parceria com o artista finlandês Kari Kola, que versará sobre fenómenos de luz como a aurora e a aurora boreal, para a abertura oficial do Ano Internacional da Luz, designado para 2015 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

"Para mim é uma honra e tem grande importância participar nesta iniciativa da UNESCO. Não é todos os dias que Portugal está presente num evento destes", disse Nuno Maya, do atelier OCubo, um dos associados do Ano Internacional da Luz.

Durante os dias 19 e 20 de Janeiro, a fachada do edifício da UNESCO estará iluminada, desde o anoitecer até à meia-noite, com o projecto de luz "Light is here", que combina iluminação multimédia e vídeo-projecção, sobre aqueles fenómenos ópticos naturais.

Nuno Maya tem desenvolvido, nos últimos anos, várias obras visuais e multimédia através do atelier OCubo - são dele alguns dos espectáculos de projecção em fachadas no Terreiro do Paço, Lisboa - em vários países, como Austrália, Japão, Alemanha, mais recentemente em Macau (China) e, em breve, na Bélgica, num projecto educativo com escolas de Ghent.

A Organização das Nações Unidas declarou 2015 o Ano Internacional da Luz para chamar a atenção para o desenvolvimento sustentado das tecnologias baseadas na luz e para a discussão sobre a sua importância cultural, económica e ambiental. O objectivo do Ano Internacional da Luz é "esclarecer os cidadãos de todo mundo para a importância da luz e das tecnologias ópticas nas suas vidas, no seu futuro e no desenvolvimento da sociedade", defende a UNESCO.

Nos dois dias de abertura em Paris está previsto um programa de debates que reunirá investigadores, instituições científicas, empresas de tecnologia e organizações não-governamentais. O programa de iniciativas ao longo de 2015 também envolverá Portugal, a partir da coordenação do físico Carlos Fiolhais, com eventos como o Ponte de Luz - Festival de Arte e Luz, em Julho, em Ponte de Lima, o Astrocamp, astronomia em Agosto, em Paredes de Coura, e o Lumina - Festival de Luz, em Setembro, em Cascais. Todas as iniciativas e o programa da UNESCO podem ser consultados aqui.