Editorial

Poupar 100 milhões à custa dos pobres

Agitar números sem deles ter certezas raramente dá bom resultado. Quando o ministro Mota Soares falou em famílias a receber, sem trabalhar, somas que podiam chegar aos 950 euros por mês, o mínimo que se exigia é que o Governo viesse, de seguida, sustentar essa declaração em dados concretos. Não o fez, nem nessa altura nem depois, apesar de insistentemente o PÚBLICO tentar obter explicações junto do seu ministério. Nesta edição, publicamos os dados possíveis, recolhidos junto de instituições sociais (as que lidam directamente com a pobreza) e eles não confirmam a afirmação do ministro. As poucas famílias que recebem tal quantia são numerosas e em situações muito precárias. Por isso, a tal “fortuna” dos 950 euros resume-se numa bagatela quando distribuída por dez ou mais pessoas. Mesmo assim, o Governo orgulha-se de ir poupar, no próximo ano, 100 milhões cortando nestas verbas. Há-de assim ter um Natal mais feliz, em 2015.