Luís fotografa para combater a precariedade

Fotogaleria

Na sociedade actual, não passamos de meros números. Foi este o ponto de partida de Luís Coelho para o projecto fotográfico que está a desenvolver e que se começou a mostrar recentemente, no Facebook mas também em instalações feitas pela cidade do Porto. O fotógrafo retrata as pessoas como elas foram deixadas — “totalmente desumanizadas” — e mostra que a precariedade chega a todos: do chapeiro de automóveis à médica, da socióloga à tradutora, do arquitecto ao empregado de mesa. “A precariedade já chegou a mais de metade da população e afecta todas as gerações e pessoas com todo o género de formação”, lamenta Luís, que também se auto-retratou para o projecto. O jovem de 34 anos quer fotografar pessoas e fazer instalações em todo o país e, no final do próximo ano, o projecto "Não passamos de números" deverá dar origem a uma exposição e a um livro. Lê o artigo completo

Sugerir correcção