Opinião

Um dia bonito

É nosso dever saudar o último dia do ano em que chegámos aos 20 graus.

Sexta-feira foi um dia bonito. Nas nossas relações interespaciais nada se interpôs entre o sol e a parte portuguesa do planeta.

Com o Dezembro a ameaçar, mal cai a noite é nosso dever saudar o último dia do ano em que chegámos aos 20 graus.

As temperaturas são como as idades. Quando está muito frio, acabámos de nascer (0 graus), mas até os nove graus fazem de nós crianças. As temperaturas de Verão são iguais às melhores idades: entre os 25 e os 40 anos.

O dia bonito é tudo menos consolador. Não nos prepara para a chuva e para o frio que aí vêm. Desprepara-nos. Põe-nos a jeito para ficarmos ainda mais deprimidos do que antes.

Outra coisa boa foi o lançamento grátis do OS X Yosemite para computadores Apple. Este é inteiramente de graça. O penúltimo era um download barato mas custoso e o antepenúltimo requeria um disco que custava 150 euros.

Passaram dos felinos (entretanto esgotados) para as montanhas (oferecendo possibilidades sem fim). O Yosemite é bom para quem tem também um iPhone ou um iPad, mas também é um pouco melhor para quem não tem, até por ser só um pouco mais rápido.

Um horrível senão: os meus bookmarks de agora foram substituidos pelos inúteis bookmarks de Junho de 2011. Basta uma hora de insuportável tédio para recuperar as preferências recentes.

Que pena ter escolhido o único dia bonito destes últimos dias para cumprir estas tarefas feitas para os dias escuros, frios, húmidos – e imprevisivelmente interessantes – que aí vêm.