Rui Costa eleito "Atleta do Ano" pelo terceiro ano consecutivo

Rui Costa está a viver um momento "de sonho" na sua carreira
Foto
Rui Costa Dennis Balibouse/Reuters

O ciclista Rui Costa conquistou na quarta-feira pela terceira vez consecutiva o prémio de Atleta masculino do ano na Gala da Confederação do Desporto de Portugal (CDP), igualando o recorde detido por Nelson Évora.

Vencedor nas duas últimas edições, Rui Costa, que terminou o ano no quarto lugar do ranking mundial do ciclismo, voltou a vencer a votação para “Atleta masculino do ano”, tal como o atleta Nelson Évora tinha feito entre 2007 e 2009.

"Dou sempre o meu melhor naquilo que gosto de fazer, que é andar de bicicleta. Estou muito contente. Espero que este troféu me possa dar mais força", disse na entrega dos prémios no Casino Estoril.

O antigo campeão mundial foi o escolhido de uma lista que incluía o piloto Paulo Gonçalves, vice-campeão do mundo de todo-o-terreno, do remador Pedro Fraga, campeão da Europa de Skiff Ligeiro, o tenista João Sousa, o português mais bem classificado de sempre no ranking mundial (35.º), e Marcos Freitas, campeão europeu por Portugal e vencedor da Taça da Europa de ténis de mesa.

No sector feminino, o prémio da atleta foi para a judoca Telma Monteiro, vice-campeã do mundo de judo, que, ainda que ausente da 19.ª Gala da CDP, bateu a ginasta Ana Filipa Martins, 12.ª no Europeu e 16.ª no Mundial, a atleta Jessica Augusto, medalha de bronze na maratona no Europeu, a canoísta Teresa Portela, medalha de bronze em K1 200 e em K1 500 metros no Europeu, e Fu Yu, melhor de sempre no ranking de ténis de mesa feminino (18.º).

O galardão de “Equipa do ano” recaiu na seleção sénior de ténis de mesa, também ausente da gala. Na votação, os campeões europeus derrotaram a seleção sub-20 masculina de hóquei em patins, campeã mundial em 2013, o K4 masculino 1000 metros que se sagrou vice-campeão mundial de canoagem, a seleção sub-19 de futebol, vice-campeã europeia, e o 49er dos velejadores Jorge Lima e José Luís Costa, quinto classificado do Mundial.

O título europeu foi premissa suficiente para que Pedro Rufino, o selecionador de ténis de mesa, fosse premiado como “Treinador do ano”, à frente de Hélio Lucas e José Sousa, responsáveis pela primeira medalha mundial da canoagem, o selecionador de futebol sub-21 Rui Jorge, que apurou Portugal para o Europeu com um pleno de vitórias, Frederico Marques, treinador de João Sousa, e Lino Barruncho, responsável pelo segundo lugar de João Pereira na etapa do Campeonato do Mundo de Triatlo de Chicago.

“Este prémio era impossível sem atletas de eleição”, frisou Rufino.

O prémio de “Jovem promessa” foi para o ciclista Ivo Oliveira, campeão mundial de perseguição individual júnior, mais votado do que a basquetebolista Maria Kostourkova, que aos 16 anos conquistou o título nacional sénior, o futebolista Marcos Lopes, vice-campeão europeu de sub-19, o surfista Miguel Adão, 3.º classificado do ranking mundial da categoria ProJunior, e o mesa-tenista Diogo Chen, campeão europeu.