Malala, o jovem rosto do Nobel da Paz

JUSTIN TALLIS/AFP
Fotogaleria
JUSTIN TALLIS/AFP

O Prémio Nobel da Paz foi atribuído à activista paquistanesa Malala Yousufzai e ao indiano Kailash Satyarthi. O anúncio foi feito em Oslo pelo presidente do Comité Norueguês do Nobel, Thorbjoern Jagland, que afirmou que "as crianças têm de ir à escola e não podem ser financeiramente exploradas". O prémio foi atribuído aos dois activistas "pela sua luta contra a repressão de crianças e jovens e pelo direito de todas as crianças à educação", segundo o comité. O Comité Nobel chama a atenção para a atribuição do prémio a "um hindu e a uma muçulmana, um indiano e uma paquistanesa, que se juntam numa luta comum pela educação e contra o extremismo". Malala Yousufzai aproveitou a entrega do prémio, esta quarta-feita, dia 10 de Dezembro, para afirmar, em entrevista à "BBC", que esepra servir o seu país. A premiada não afasta a hipótese de seguir uma carreira poliítica e, quem sabe, de ser "primeira-ministra do Paquistão. Lê o artigo completo.

 

Texto actualizado a 10 de Dezembro com a referência à entrega do prémio. English version.

 

 

Andy Buchanan/AFP
LEON NEAL/AFP
Russell Cheyne/Reuters
PETER MUHLY/AFP
NAVESH CHITRAKAR/Reuters
Luke MacGregor/Reuters
Olivia Harris/Reuters
Reuters
RIZWAN TABASSUM/AFP
Aamir QURESHI/Reuters
ASIF HASSAN/Reuters
HO/AFP
Ben Job/Reuters
Olivia Harris/Reuters
Stan HONDA/AFP
Stan HONDA/AFP