Morreu Paulo Martins, líder histórico da UDP na Madeira

Foto
Paulo Martins (à esquerda)

Paulo Martins, fundador e líder histórico da União Democrática Popular (UDP), morreu esta sexta-feira no Hospital dos Marmeleiros, no Funchal, onde estava há meses internado por doença prolongada. Tinha 61 anos.

Eleito deputado à Assembleia Regional da Madeira, nas primeiras legislativas regionais realizadas em 1976, pela UDP, Paulo Martins manteve-se na actividade parlamentar até Outubro de 2008. Nos dois últimos mandatos representou o Bloco de Esquerda, no qual a UDP se integrou, tendo suspendido funções durante alguns períodos para permitir a entrada, em rotatividade, de Roberto Almada, Guida Vieira e Violante Saramago Matos.

Renunciou ao mandato depois de ter sido diagnosticada insuficiência respiratória que condicionou a intensa actividade política que mantinha desde que, com a Revolução de 1974, interrompeu o curso de Medicina para regressar à Madeira.

Co-fundador da União do Povo da Madeira (UPM), constituída em Junho de 1974 com base no núcleo do jornal Comércio do Funchal e de elementos do Centro de Cultura Operária, Paulo Martins foi candidato à Assembleia Constituinte em 1975, pela Frente Eleitoral Comunista (FEC-ML). Estes dois movimentos deram origem à UDP na Madeira, partido pelo qual passou a concorrer desde as primeiras eleições autonómicas.

Paulo Martins foi agraciado pelo Presidente da República Jorge Sampaio com o título de comendador da Ordem da Liberdade.