Messi o melhor jogador, James o melhor marcador

A FIFA atribuiu ainda o galardão de melhor guarda-redes a Manuel Neuer e de melhor jogador jovem a Paul Pogba.

James Rodriguez foi importante para a boa campanha da Colômbia
Fotogaleria
James Rodríguez Eric Gaillard / Reuters
Lionel Messi
Fotogaleria
Lionel Messi Reuters
Manuel Neuer
Fotogaleria
Manuel Neuer Reuters
Paul Pogba
Fotogaleria
Paul Pogba volta a estar no centro de uma polémica relacionada com o racismo Reuters

O melhor jogador: Lionel Messi É discutível que tenha sido, sequer, o melhor da Argentina no Mundial 2014 (Angel di María fez muita falta à "alviceleste" na final), mas a “estrela” do Barcelona sai do Brasil com o título de melhor do torneio, sucedendo assim ao uruguaio Diego Forlán. Depois de uma época discreta na Catalunha, em que perdeu para Ronaldo o prémio de melhor jogador do ano, Messi elevou um pouco o seu jogo e foi decisivo a levar a selecção de Sabella até à final, dando aquele toque de magia a uma selecção que parecia presa de movimentos e com pouca harmonia entre os seus avançados. Esta Argentina com pouca imaginação precisava de um Messi ao seu melhor nível, mas só teve um Messi em plano razoável - ainda assim terminou como o melhor marcador da sua selecção, com quatro golos. Assim, Leo, que nunca jogou no seu país, nunca entrará no coração dos argentinos da mesma forma que Diego Armando Maradona, homem imperfeito, mas jogador absolutamente genial e com a ponta de loucura que levou a A

O melhor marcador: James Rodríguez

A Colômbia ficou-se pelos quartos-de-final, mas isso não impediu que James Rodríguez terminasse o torneio como melhor marcador, a primeira vez que um colombiano alcança este feito. O antigo jogador do FC Porto cometeu a proeza de marcar em todos os jogos que disputou e terminou com seis golos, um à frente do alemão Thomas Müller, melhor marcador há quatro anos, com cinco golos. Numa selecção que foi para o Brasil sem o seu melhor avançado, Radamel Falcao (que se lesionou com gravidade alguns meses antes), James foi a grande figura e, de semi-desconhecido, saiu do Mundial como “estrela” de primeira grandeza, ao ponto de os jornais espanhóis já lhe arrancarem frases como “jogar no Real Madrid é um sonho”. O Mónaco, que não é daqueles clubes que precise muito do dinheiro, diz que ele só sai por 115 milhões. Com apenas 23 anos, James terá, pelo menos, mais dois ou três Mundiais pela frente e, para a época que está prestes a começar, há que contar com ele para as discussões sobre os melhores jogadores da actualidade. James tem tudo para ser um deles: técnica, velocidade, potência de remate.

O melhor guarda-redes: Manuel Neuer

Houve muitos guarda-redes espectaculares neste Mundial, Tim Howard (EUA), Keylor Navas (Costa Rica), Guillermo Ochoa (México) ou até o próprio Sergio Romero (Argentina), mas nenhum é tão completo e tão eficaz como o germânico Manuel Neuer, que não precisa de fazer defesas com grande espalhafato para ser eficiente. Já se sabia que ele era um dos melhores da sua posição e este Mundial só o confirmou, sucedendo ao espanhol Iker Casillas como "recipiente" do troféu Luvas de Ouro. O guardião do Bayern de Munique é um digno representante de uma linhagem alemã de grandes guarda-redes e que inclui homens como Sepp Maier, Harald Schumacher ou Oliver Kahn. Não haverá nenhum guarda-redes no mundo melhor que ele a sair da baliza e a antecipar-se a um avançado contrário, mas este não é o seu único predicado. Neuer domina a pequena área como poucos, é alto, elástico e com grandes reflexos. E tem uma enorme visão de jogo na hora de sair para o ataque.
 
O melhor jovem jogador: Paul Pogba

Será, talvez, o símbolo de uma França rejuvenescida e que atirou para o esquecimento aquela selecção caótica que esteve na África do Sul há quatro anos, e não é grande supresa que tenha sido eleito o melhor jogador jovem do Mundial, um prémio conquistado há quatro anos por Thomas Müller. O médio da Juventus tem tudo a seu favor - idade (só tem 21 anos), presença física, técnica e faro pelo golo - para se tornar numa das grandes figuras dos “bleus” para os próximos tempos. O Manchester United não o conseguiu segurar quando tinha 19 anos e, dois anos depois, Pogba é um dos jogadores mais disputados, estando na lista de compras dos clubes mais endinheirados da Europa. Não foi o único francês nomeado para este prémio. Raphael Varane, central do Real Madrid, também já é uma jovem certeza do futebol mundial e, juntamente com Pogba, vai, sem dúvida ajudar a França a recuperar estatuto no futebol mundial.