Kremlin anuncia que Putin e Poroshenko discutem possível cessar-fogo na Ucrânia

Presidentes da Rússia e da Ucrânia falaram após a morte de dois repórteres da televisão russa, nesta terça-feira.

Poroshenko e Putin, com Angela Merkel, nas cerimónias do Dia D, na Normandia
Foto
Poroshenko e Putin, com Angela Merkel, nas cerimónias do Dia D, na Normandia Kevin Lamarque /Reuters

Os presidentes russo, Vladimir Putin, e ucraniano, Petro Poroshenko, discutiram um eventual cessar-fogo no Leste da Ucrânia, onde os episódios de violência se repetem e, nesta terça-feira, foram mortos dois repórteres russos.

A informação, noticada pela agência AFP, foi divulgada na noite desta terça-feira pela presidência russa.

“A conclusão de um possível cessar-fogo na zona de operações militares no sudeste da Ucrânia foi evocada”, informou o Kremlin. Durante o diálogo, Putin manifestou preocupação pela morte dos dois  russos – um engenheiro de som, no local onde foi atingido, e um correspondente, que morreu mais tarde, no hospital.

Putin sublinhou - segundo o Kremlin - a importância de garantir a segurança dos repórteres na Ucrânia, e Poroshenko, recém-empossado, prometeu uma investigação às circunstâncias das duas mortes dos cidadãos russos que terão sido apanhados por combates entre forças ucranianas e separatistas pró-russos, perto da fronteira.

A menção à possibilidade um cessar-fogo acontece depois de desenvolvimentos recentes que comprometeram as perspectivas de diálogo criadas após os primeiros contactos entre os dois dirigentes. As perspectivas de diálogo foram ensombradas por episódios que, nos últimos dias, alimentaram declarações hostis: a crise do gás – com a Rússia e anunciar que só faria fornecimentos pagos antecipadamente – e o derrube de um avião militar ucraniano que provocou 49 mortes.