FC Porto é o primeiro hexacampeão do andebol português

"Dragões" derrotaram em casa o Benfica e conquistaram o 6.º título consecutivo, frustrando as hipóteses do Sporting

Fotogaleria
NFactos
Fotogaleria
NFactos

A última jornada do campeonato de andebol arrancou com duas equipas ainda com possibilidade de se sagrarem campeãs, mas no final quem assegurou o triunfo foi a mesma que o fez nos últimos anos. O FC Porto não falhou na recepção ao Benfica, que derrotou por 24-19, e assegurou o título pela sexta temporada seguida. Os “dragões” entraram assim na história da prova como os primeiros hexacampeões da modalidade.

O Sporting também sonhava com o título e fez a sua parte, ultrapassando em casa o Sporting da Horta (33-22), mas era o FC Porto que dependia de si próprio. À formação de Ljubomir Obradovic, que chegou ao intervalo já a vencer por 11-8, bastava o empate para festejar num lotado Dragão Caixa.

Se na época passada o FC Porto tinha igualado o feito de uma histórica formação do Sporting, que ficou conhecida como os “sete magníficos” (o ecléctico Bessone Basto, Manuel Brito, Adriano Mesquita, Manuel Marques, Carlos Correia e os irmãos Ramiro e Alfredo Pinheiro), capaz de ganhar cinco campeonatos consecutivos, entre 1968-69 e 1972-73, neste sábado ganhou um lugar único na modalidade. Tal como Tiago Rocha, Ricardo Moreira, Gilberto Duarte, Wilson Davyes e o guarda-redes Hugo Laurentino, os cinco jogadores presentes nestes seis títulos portistas.

A caminhada portista começou com Carlos Resende no banco, com o antigo internacional português, a liderar a equipa em 2008-09, e depois prosseguiu, nas cinco épocas seguintes, com o sérvio Ljubomir Obradovic.

“Dentro de alguns anos, ninguém se vai lembrar que o FC Porto conquistou este título na última jornada, mas que conquistou o hexacampeonato”, referiu Ricardo Moreira.

Os “dragões” somaram 56 pontos, mais um do que os “leões”. O ABC, que ganhou ao Águas Santas (26-30), garantiu o terceiro lugar, com 51, enquanto o Benfica terminou com 49. Mais atrás ficaram Águas Santas (45) e Sporting da Horta (30).

O triunfo portista foi facilitado pela exibição do seu guarda-redes. Hugo Laurentino efectuou 16 defesas e foi especialmente importante na primeira parte, quando o ataque dos locais esteve mais desinspirado. O internacional português foi decisivo na manutenção do equilíbrio no resultado até perto do fim desse período, altura em que o campeão nacional ganhou uma pequena vantagem que acabou por não mais perder e por aumentar logo após o intervalo.

Gilberto Duarte, com sete golos, e João Ferraz, com cinco, foram os melhores concretizadores dos vencedores, enquanto no Benfica, que na segunda parte não conseguiu baixar a desvantagem para menos de três golos e chegou a estar a perder por sete, destacaram-se Elledy Semedo (5) e Carlos Carneiro (4).

Em Mafra, a vitória do Sporting não foi suficiente para ganhar o campeonato, mas o clube não terminou a época de mãos a abanar, pois conquistou a Supertaça e a Taça de Portugal.

O FC Porto, recorde-se, chegou ao 19.º título. O Sporting tem 17, o ABC 12, o Benfica sete, o Belenenses cinco e o Salgueiros e o Madeira SAD um cada.