Portugueses desafiados a cumprir 20 metas até 2020 para melhorar a sua saúde alimentar

O projecto chama-se Movimento2020 e promete trazer transformação, crescimento e mudança à mesa e à vida das famílias portuguesas. A meta final, que resume todos os objectivos, é o aumento da felicidade para os que aceitarem o desafio.

Foto
Comer fruta é uma das recomendações Enric Vives-Rubio

Melhorar a saúde alimentar dos portugueses é o objectivo da Associação Portuguesa de Dietistas (APD) que, para assinalar o Dia Mundial da Família, lançou um conjunto de 20 desafios a cumprir até 2020. Chama-se Movimento2020 e promete trazer transformação, crescimento e mudança à mesa e à vida das famílias portuguesas. Os especialistas notam que a escassez de dietistas e nutricionistas nos centros de saúde é uma das causas da proliferação de doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes na população portuguesa.

É clara a “necessidade de uma mudança nos sectores público, privado, social-cooperativo e no próprio cidadão” disse ao PÚBLICO Rute Borrego, presidente da Assembleia Geral da APD, referindo-se ao paradigma da saúde alimentar em Portugal. O projecto Movimento 2020, com duração prevista de seis anos, contempla, para esse efeito, formações em centros de saúde, hospitais e escolas, palestras, aconselhamento dos profissionais de saúde e pretende mesmo levar estas questões a discussão na Assembleia da República. Isto porque “os 20 desafios foram construídos com base em evidências científicas e de acordo com o plano do Governo para a saúde e as recomendações da Organização Mundial de Saúde”.

Os 20 objectivos incluem orientações alimentares para os cidadãos em geral, como o aumento do consumo de peixe fruta e legumes, mas têm também pontos dedicados especificamente às grávidas, crianças e jovens. “Queremos aumentar as food skills [competências alimentares] das nossas crianças e jovens para que possam chegar ao supermercado ou mesmo ao restaurante e saber o que é melhor pedir”, explica Rute Borrego. Nas 20 metas para 2020 não são esquecidos os conselhos para a população idosa – cada vez mais representativa da pirâmide etária portuguesa – o alerta para a necessidade de combater o desperdício alimentar, a aposta na actividade física e a recuperação da dieta mediterrânica.  Essenciais são, para Rute Borrego, os desafios que dizem especificamente respeito aos centros e profissionais de saúde uma vez que, de acordo com a dietista, “existe ainda uma grande escassez de nutricionistas e especialistas em saúde alimentar nos cuidados primários” do Serviço Nacional de Saúde.

Para monitorizar os avanços no cumprimento dos 20 objectivos, foi criado um conselho executivo composto por sete elementos, especialistas nas áreas da saúde, educação, gastronomia, desporto, agricultura, restauração/responsabilidade social, dietética e nutrição. Está prevista uma avaliação de dois em dois anos que estes profissionais se responsabilizam a fazer, em parceria com diversas instituições, empresas, organizações e indústrias e com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde.

A meta final do Movimento 2020, que acaba por resumir todos os objectivos anteriores, é o aumento do nível de felicidade dos portugueses. “Acreditamos que a felicidade está intimamente relacionada com a saúde alimentar”, diz Rute Borrego. A correcção de hábitos alimentares errados, a prática de exercício físico, a educação para a vida saudável, entre muitos outros, são factores essenciais para que o indivíduo se possa sentir bem, satisfeito e, consequentemente mais feliz. O cumprimento destes objectivos permitirá também prevenir e evitar doenças cardiovasculares, respiratórias, diabetes e obesidade que, de acordo com a OMS, são as grandes “epidemias” do séc. XXI.

O Movimento2020 é apresentado esta quinta-feira no Hotel Inspira Santa Maria, em Lisboa, pelas 10h30. O evento conta com a presença da presidente da APD, Zélia Santos, da secretária-geral, Raquel Ferreira e do secretário de estado adjunto do Ministério da Saúde, Fernando Leal da Costa. Todos os interessados podem acompanhar o projecto e seguir os desafios na página oficial do movimento ou através das redes sociais.

Texto editado por Andrea Cunha Freitas