Torne-se perito

Coreia do Sul diz que Norte pode estar a preparar o quarto teste nuclear

Analistas consideram que é mais provável que Pyongyang esteja apenas a fazer uma manobra intimidatória devido à presença de Obama na península, na sexta-feira.

O mais recente teste nuclear norte-coreano foi em Fevereiro do ano passado
Foto
O mais recente teste nuclear norte-coreano foi em Fevereiro do ano passado Kim Hong-ji/Reuters

O Governo da Coreia do Sul anunciou esta terça-feira ter detectado um aumento da actividade nos locais de testes nucleares na Coreia do Norte e considera que as autoridades de Pyongyang podem estar a preparar um quarto ensaio, fazendo-o coincidir com a presença do Presidente americano, Barack Obama, na península.

"O nosso exército registou uma grande actividade na zona de ensaios de Punggye-ri e nos seus arredores", anunciou o porta-voz do Ministério da Defesa,  Kim Min-Seok, numa conferência de imprensa em Seul.

O porta-voz explicou que o programa nuclear norte-coreano atingiu um ponto em que é possível a realização de ensaios "quando quiserem". Kim Min-Seok não quis dar mais detalhes sobre a actividade registada em Punggye-ri, mas avançou que poderá tratar-se de uma "resposta" à presença de Obama na Coreia do Sul - o Presidente dos EUA está a iniciar uma viagem a vários países da Ásia e chega sexta-feira a Seul.

"Pensamos que o Norte poderá realizar um teste nuclear de surpresa, ou simular um", disse o porta-voz adiantando que o estado-maior do exército sul-coreano colocou em estado de alerta uma equipa especial para o caso de Pyongyang avançar com um teste ou realizar uma explosão subterrânea. Os Estados Unidos e a Coreia, disse o porta-voz, estão a colaborar na recolha e análise de informações sobre a actividade norte-coreana e Seul optou por se preparar "de forma meticulosa para um quarto ensaio ou para qualque outra forma de provocação".

O Governo norte-coreano, liderado por Kim Jong-un, criticou a visita de Obama ao Sul, que classificou de "gesto perigoso", susceptível de provocar uma escalada de tensão na península e "uma núvem de sombra na corrida ao armamento nuclear". 

A península coreana já foi um só território, mas dividiu-se em dois países inimigos após uma guerra de três anos, entre 1950-53. Oficialmente, os dois territórios ainda estão em conflito, uma vez que não foi assinado um tratado de paz, apenas um armistício. 

A Coreia do Norte - um dos regimes mais opacos do mundo - já realizou três ensaios nucleares (Outubro de 2006, Maio de 2009 e Fevereiro de 2013), tendo as Nações Unidas proibido os testes e criado um regime de sanções contra Pyongyang.

Sugerir correcção