Nacional goleia Paços e garante Europa

Vitória por 5-0 na Mata Real permite aos madeirenses aceder à Liga Europa na próxima época e complica contas do Paços de Ferreira.

Manuel Machado levou o Nacional de volta às competições europeias
Foto
Manuel Machado levou o Nacional de volta às competições europeias Francisco Leong/AFP

Em jogo estava a possibilidade de garantir o acesso às competições europeias na próxima época e o Nacional da Madeira não facilitou. Apesar de jogar fora, os madeirenses exerceram um domínio avassalador e golearam este sábado o Paços de Ferreira por 5-0.

O primeiro golo chegou à meia hora de jogo, através do defesa Miguel Rodrigues, após canto apontado por Candeias. Antes disso, a partida até estava equilibrada e as duas equipas procuravam o golo sem complexos.

Até ao final da primeira parte, o Nacional ainda dispôs de algumas oportunidades para aumentar a vantagem, através de Candeias (39’) e de Reginaldo (40’). A equipa da casa respondia apenas com algumas investidas de Bebé, mas quase sempre inconsequentes.

Se a primeira parte tinha sido algo equilibrada, a segunda teve um Nacional que nunca tirou o pé do acelerador e fez o que quis da equipa de Jorge Costa. Aos 50’, Mario Rondon aproveitou as facilidades concedidas pela defesa pacense e fez o segundo dos visitantes. Sete minutos depois, Claudemir sofreu falta de Boaventura na área do Paços e foi o próprio que converteu a grande penalidade assinalada. Por esta altura, alguns adeptos da equipa da casa abandonavam a Mata Real, sem qualquer esperança numa recuperação.

Pelo contrário, eram os homens de Manuel Machado que continuavam a criar as melhores oportunidades. Um cruzamento de Candeias encontra a cabeça de Rondon (71’), que faz o quarto golo. Ao Paços restava esperar pelo apito final e tentar conter a linha ofensiva madeirense.

Ainda houve tempo para mais um golo, que completou o hat-trick de Rondon (88’), depois de uma assistência de Diego Barcellos. Cinco golos sem resposta, que bem podiam ter sido mais, dado o caudal ofensivo do Nacional. Já no período de compensação, Boaventura viu o segundo cartão amarelo e teve ordem de expulsão.

O Nacional garante o regresso às competições europeias, duas épocas depois da última participação na Liga Europa. Para os pacenses tudo será decidido nas duas restantes jornadas em que estão proibidos de perder pontos ou o regresso à II Liga, dez anos depois, será uma realidade.