Centro Nacional de Apoio ao Imigrante no Porto vai mudar de instalações

Secretário de Estado Adjunto almoçou com o presidente da Câmara do Porto

Foto
Pedro Lomba

O Centro Nacional de Apoio ao Imigrante (CNAI) no Porto vai deixar a Rua do Pinheiro e mudar-se para um edifício do Estado, na Rua de Júlio Dinis. O anúncio foi feito, esta terça-feira, pelo Secretário de Estado Adjunto do Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Pedro Lomba, após um almoço com o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira. O governante não disse quando é que a transferência se irá processar.

O secretário de Estado Adjunto responsável pelas migrações aproveitou o almoço institucional para revelar que o Governo tem “a ambição de reforçar a presença no Porto de organismos que no Estado lidam com a captação de talento que pode vir do estrangeiro”. Instado a concretizar que organismos serão esse, Pedro Lomba esclareceu que, para já, está apenas em causa a transferência do CNAI, para instalações com melhores condições.

O resto logo se verá. Isto porque o governante garante que o Porto “pode e deve ser promovido como uma região que tem potencialidades diferentes do resto do país” no que concerne à captação de talento estrangeiro mas, mais uma vez, o secretário de Estado Adjunto não concretizou. O Governo quer ainda saber exactamente o que diferencia o Porto para actuar em conformidade. “É em função dessa diferenciação que iremos perceber como podemos cooperar com o município, como apoiar nesta bandeira comum”, argumentou Pedro Lomba, que já reunira, de manhã, com o reitor da Universidade do Porto, José Marques dos Santos.

O secretário de Estado garantiu ainda que irá “promover um estudo para a região Norte”, que permita saber as necessidades e oportunidades existentes na área. Pedro Lomba disse esperar que estes resultados estejam prontos “em breve”, mas não se mostrou muito preocupado: “O diagnóstico está feito”, garantiu, sem precisar qual é esse diagnóstico.

Rui Moreira saudou a melhoria de condições anunciadas para os imigrantes (1,29% da população do Porto, segundo o secretário de Estado Adjunto) e o “alinhamento de pontos de vista” quanto à necessidade de haver um maior empenho do Estado na captação de novos talentos e investidores. “Temos uma grande preocupação com os jovens que estão a sair, a cidade tem de dar condições e garantias a quem aqui se quer instalar”, disse o autarca, admitindo: “Há condições que não podem ser criadas por nós”.

Pedro Lomba defendeu que, neste momento, o país precisa de tornar-se “mais atractivo”, defendendo: “É fundamental desenvolver uma estratégia de captação que passe pela promoção do país e pelas suas especificidades a nível regional”. A título de exemplo do empenho governamental nesta matéria, o secretário de Estado Adjunto lembrou que esta terça-feira foi entregue na Comissão Europeia o Programa Operacional da Região Norte, que contempla, entre outras matérias, “400 milhões de euros de apoio à inovação” e “mil milhões de euros para a competitividade”.

Sugerir correcção