Dois projectos portugueses distinguidos com os Prémios Europa Nostra 2014

O programa de rádio Encontros com o Património e a Rota Histórica das Linhas de Torres estão entre os 27 projectos vencedores do Prémio do Património Cultural da União Europeia.

Fotogaleria
Actor entrou no filme Linhas de Wellington, produzido por Paulo Branco, em 2012 DR
Fotogaleria
PÚBLICO/arquivo
Fotogaleria
Momento do programa Encontros do Património SECULTBA
Fotogaleria
Museu da Horta, em Bruxelas (Cat. Conservação) EUROPANOSTRA
Fotogaleria
Basílica Palladiana em Vicenza, Itália (Cat. Conservação) EUROPANOSTRA
Fotogaleria
Casa de Walter Scott, Melrose, Reino Unido (Cat. Conservação) EUROPANOSTRA
Fotogaleria
O casamento místico de Santa Catarina, de Van Dick, no Museu do Prado, Madrid (Cat. Investigação) HEN - Magonza
Fotogaleria
Gustav Klimt Memorial Society, Viena (Cat. Contribuição exemplar) EUROPANOSTRA
Fotogaleria
Salas de ágata em Pushkin, São Petersburgo, Rússia (Cat. Conservação) EUROPANOSTRA

Há dois projectos portugueses entre os 27 distinguidos na edição deste ano do Prémio Europa Nostra – Património Cultura da União Europeia, e que foram anunciados na manhã desta quinta-feira pela Comissão Europeia, em Bruxelas.

A Rota Histórica das Linhas de Torres Vedras – também conhecido apenas como Linhas de Torres –, conjunto de fortificações construídas aquando da Guerra Peninsular, no início do século XIX, foi distinguida na categoria Conservação. O programa Encontros com o Património, produzido pela Direcção-Geral do Património Cultural e emitido pela TSF, venceu na categoria Educação, formação e sensibilização.

No conjunto, a partir de uma lista de 160 candidaturas provenientes de 30 países (Portugal candidatou quatro projectos), foram designados 27 vencedores em quatro categorias temáticas – as outras duas sendo Investigação e Contribuição exemplar.

A Rota História das Linhas de Torres foi candidatada aos Prémios Europa Nostra pela Câmara Municipal de Loures. A distinção agora conquistada vem acrescentar visibilidade a toda uma região, e em particular à edificação das linhas militares de defesa, que foi dirigida pelo general Arthur Wellesley, duque de Wellington, e que viria a ajudar a derrotar o exército de André Massena na Terceira Invasão Francesa (1808) – um feito documentado no filme (e depois também série televisiva) As Linhas de Wellington (2012), realizado por Valeria Sarmento, e onde a figura do militar britânico é interpretada por John Malkovich.

O programa radiofónico Encontros com o Património tem vindo a ser emitido pela TSF há seis anos consecutivos e tem-se ocupado da divulgação do património português na sua relação com as pessoas que o habitam, alertando igualmente para a necessidade da sua salvaguarda.

Na justificação deste prémio, e segundo o comunicado de imprensa divulgado pelo Centro Nacional de Cultura - que representa em Portugal os Prémios Eropa Nostra -, este projecto radiofónico de divulgação do património "representa uma parceria bem-sucedida entre uma entidade pública e uma rádio comercial privada", além de os programas "proporcionarem perspectivas realísticas diversas acerca do património cultural português".

O tema da salvaguarda do património esteve, de resto, presente na intervenção da cipriota Androulla Vassiliou, comissária europeia da Educação, Cultura, Multilinguismo e Juventude, que na sessão de anúncio dos prémios, em Bruxelas, lembrou ser o património “um dos bens mais preciosos da Europa”. O património “cria pontes entre o passado e presente, estimula o crescimento, promove a inclusão social e atrai turismo”, acrescentou Vassiliou, alertando para a “fragilidade” de muitas construções e sítios no Velho Continente.

Os prémios Europa Nostra - que existem desde 2002 e contam com o apoio do programa comunitário Cultura – vão ser entregues no dia 5 de Maio, em Viena, no âmbito do Congresso Europeu do Património. Na cerimónia, vão ser anunciados seis grandes prémios, a que serão atribuídos 10 mil euros cada, e ainda o Prémio do Público, cuja votação se inicia agora, <i>online</i>, a partir dos 27 projectos distinguidos pela Comissão Europeia.  

A Câmara de Loures congratulou-se hoje com a atribuição do prémio à Rota Histórica das Linhas de Torres. Em declarações à Lusa, o vice-presidente da autarquia, Paulo Piteira, congratulou-se com a distinção e sublinhou que esta vem reconhecer um trabalho feito em conjunto com as autarquias de Torres Vedras, Arruda dos Vinhos, Sobral de Monte Agraço, Mafra e Vila Franca de Xira.

"É o corolário de um trabalho único e pioneiro, que juntou os esforços de seis municípios que, apesar das diferenças partidárias, se juntaram no objectivo comum de devolver o destaque e a dimensão às Linhas de Torres", sublinhou o autarca da CDU.

Em 2007, seis municípios da Área Metropolitana de Lisboa, em cujo território existiam vestígios destas fortificações, criaram a Plataforma Intermunicipal das Linhas de Torres (PILT) e investiram na recuperação desse património e na construção de centros interpretativos, sendo que muitas dessas obras foram inauguradas em 2010, aquando do bicentenário das linhas.

Paulo Piteira adiantou que até ao momento foram investidos cerca de 6 milhões de euros na recuperação desde património, sendo que 2 milhões foram co-financiados em 70% por um programa europeu. E explicou que PILT tem estado a desenvolver um esforço junto do Governo para que as Linhas de Torres venham a ser classificadas como Monumento Nacional. "Seria muito importante que isso acontecesse, pois não só daria mais visibilidade às Linhas de Torres como iria alargar o leque de responsabilidades no que respeita à sua conservação", disse.