Robert Galbraith/Reuters
Foto
Robert Galbraith/Reuters

Duas startups portuguesas vão acelerar até Silicon Valley

SongVice é uma plataforma online de aprendizagem de música. TOP Research é uma empresa responsável por uma aplicação para gerir ficheiros do computador a partir de dispositivos móveis

A SongVice e a TOP Research são duas empresas do UPTEC e foram seleccionadas para participar no Rockstart Accelerator. O programa internacional promete trazer novos conhecimentos, parceiros e investidores e colocar estes projectos numa rota de expansão mundial.

Foi no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) que ligaram os motores e agora estão a fazer as malas, prontas para partir a alta velocidade. O primeiro destino é Amesterdão onde, após seis meses a coleccionar workshops e novos clientes, vão apresentar as suas propostas de negócio a potenciais investidores e parceiros, num verdadeiro "Dia D" — o chamado "Demo Day". Depois disto partem para Silicon Valley, nos EUA, onde vão ter um mês para aprender e trocar ideias com os maiores empreendedores tecnológicos a nível mundial.

Esta é uma região fértil em projectos vencedores e onde Tiago Martins não se importaria de plantar o seu negócio. Director da SongVice, uma plataforma online de aprendizagem de música, Tiago admite que ficar nos Estados Unidos é um "sonho" e não tem dúvidas ao afirmar que a região norte-americana é "a Meca do empreendedorismo e da tecnologia de ponta".

Nelson Pereira, director da TOP Research, uma empresa responsável pela TOP Files, aplicação para gerir ficheiros do computador a partir de dispositivos móveis, partilha o entusiasmo de poder ver crescer a sua empresa, mantendo como "hipótese continuar em Portugal, mas não enquantomercado".

Uma escola online em que os alunos também decidem

A SongVice sabe que o ambiente será mais competitivo, mas a táctica está definida e a confiança deste grupo de apaixonados pela música electrónica está no volume máximo. Já para a TOP Research, a principal dificuldade vai ser "vender a marca 'made in Portugal'". No entanto, as duas empresas estão orgulhosas por serem duas das escolhidos entre "500 candidatos de vários continentes". Este é um sinal da "qualidade das novas startups que estão a surgir em Portugal" e do "know how da Universidade do Porto e do UPTEC", refere Nelson Pereira.

Tiago Martins não está sozinho. Juntamente com Henrique Caiano, Pedro Moreira e Pedro Silva, detectou uma falha no mercado do ensino de música à distância e criou a SongVice. A plataforma "não é só feita de vídeos tutoriais" e permite que haja um "feedback, no fim de cada curso, por parte do professor", explica. Os temas das aulas "vão a votos", ou seja, são decididos pelo maior número de likes da turma. Até agora, fecharam contrato com várias escolas por todo o mundo, mas curiosamente nenhuma lição é dada a partir de Portugal. As subscrições variam entre os dez e os cinquenta dólares por mês. Só a última escola a aderir conta com uma turma de 30 mil subscritores.

A aplicação que deixa o portátil em casa

Nelson Pereira e Miguel Jesus andavam na faculdade quando sentiram a necessidade de avançar. "Começamos a desenvolver algumas ferramentas de produtividade para o sector mobile que nos permitissem deixar o PC em casa e começar a produzir no tablet enquanto andávamos na rua. Queremos usar os computadores normais apenas em ambiente de escritório ou em casa", refere Nelson. Surgiu assim a Top Research, responsável pela aplicação TopFiles, que permite organizar e gerir ficheiros em dispositivos móveis sincronizados com o computador. Em menos de dois meses esta aplicação atingiu o top de países como os Estados Unidos, o Japão, o México e o Brasil.