Eusébio e FC Porto levam Benfica TV aos 280 mil assinantes

Receitas mensais do canal estão próximas dos 2,8 milhões de euros e o clássico com o Sporting pode contribuir para ultrapassar a barreira dos 300 mil subscritores.

Foto
As emissões da Benfica TV começaram em Dezembro de 2008 Oxana Ianin

Eusébio, mesmo desaparecido, continua a ser um activo importante para o Benfica, contribuindo para gerar rentabilidade. Na semana que se seguiu à sua morte (5 de Janeiro), encerrada com a recepção ao FC Porto (12 Janeiro), o canal do clube registou o maior incremento de assinaturas de sempre num curto período de tempo. Foram aproximadamente 48 mil novos subscritores que quiseram seguir de perto as cerimónias de homenagem ao “Pantera Negra” (a maioria das quais transmitidas em exclusivo na Benfica TV) e não perder pitada do clássico com os “dragões”. Segundo o PÚBLICO apurou, o total de assinantes situa-se agora perto dos 280 mil. E ainda falta transmitir o Benfica-Sporting, agendado para dia 9 de Fevereiro, que poderá contribuir para o canal ultrapassar a barreira psicológica dos 300 mil subscritores.

Números que já superam as expectativas mais optimistas dos responsáveis pelo canal “encarnado”. Numa recente entrevista à própria Benfica TV, em Dezembro do ano passado, Domingos Soares Oliveira, administrador-executivo da SAD (Sociedade Anónima Desportiva) do clube da Luz, confessava esperar apenas atingir valores perto das três centenas de milhares de subscritores no próximo ano. “Do ponto de vista da rentabilidade está acima daquilo que esperávamos. O plano era chegar aos 200 mil assinantes até ao final do ano, mas no mês passado [Novembro de 2013] já ultrapassámos os 230 mil, mantendo-se a perspectiva de crescimento. Daqui a um ano esperamos estar perto dos 300 mil assinantes”, referiu na altura o dirigente.

Para o economista António Samagaio, a receita gerada actualmente pela Benfica TV (aproximadamente 2,8 milhões de euros mensais) é considerável, mas considera que é ainda prematuro fazer um balanço nesta fase. “É um valor importante, significativo. Mas a avaliação financeira deste projecto terá de ser feita numa perspectiva de médio e longo prazo e sobretudo no final de uma época”, defendeu em declarações ao PÚBLICO.

Aumento do número de assinantes
“Os assinantes do canal têm a possibilidade de desistir ao final de um mês de assinatura”, lembrou: “Para já, há um conjunto de circunstâncias que estão a contribuir para este aumento do número de assinantes. Para além do efeito provocado com a morte de Eusébio, é igualmente importante a equipa estar no primeiro lugar do campeonato. Mas só no final da época e depois de serem apresentadas as contas [da SAD] é que se poderá fazer um balanço da rentabilidade do projecto. Neste momento, tirar conclusões baseadas nas vendas de um ou dois meses é prematura.”

“A avaliação da decisão do Benfica em avançar para um canal do clube por subscrição para transmitir as partidas da equipa em casa para o campeonato assenta em três vertentes fundamentais. A primeira que passou por abanar o monopólio da Sport TV e tudo o que isso implica ao nível do futebol e da relação desta empresa com os clubes. Depois, há outra vertente que considero importante, que passa pela tentativa do clube de tentar aumentar a relação com os sócios e adeptos e reforçar a marca Benfica, mas terá de ser feita com mais tempo. Por fim, a questão financeira propriamente dita”, enumerou.

As emissões da Benfica TV arrancaram oficialmente a 10 de Dezembro de 2008 (a primeira emissão experimental fora para o ar a 2 de Outubro desse ano), mas só no Verão de 2013 o canal passou a ser premium (por subscrição). No final de Julho do ano passado, os responsáveis do canal revelaram ter atingido os 100 mil assinantes, um número que não parou de crescer nos meses seguintes, ultrapassando os 230 mil subscritores no final do ano passado.

Um resultado que foi assinalado pelo presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, numa entrevista ao jornal A Bola, publicada no início deste ano: “É um número absolutamente impressionante e que demonstra bem que tínhamos razão quando decidimos avançar para este projecto.” A liderar o campeonato, a equipa de futebol tem dado o seu contributo, assim como involuntariamente deu Eusébio nos dias que antecederam a recepção ao FC Porto.