Imagens da Benfica TV válidas para sumaríssimos

As imagens da Benfica TV servem para ajuizar os lances polémicos
Foto
As imagens da Benfica TV servem para ajuizar os lances polémicos Francisco Leong/AFP

As imagens da Benfica TV poderão ser utilizadas para processos sumaríssimos (infracções disciplinares graves que escapam aos olhos dos árbitros no decorrer de uma partida) que venham a ser levantados pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP). A garantia foi dada ao PÚBLICO por Mário Figueiredo, presidente do organismo que gere o futebol profissional, considerando que este canal é tão idóneo como a Sport TV.

“Durante anos, as imagens da PPTV [empresa do empresário Joaquim Oliveira que adquire os direitos desportivos dos jogos de futebol e os vende à Sport TV] foram utilizadas para processos sumaríssimos, apesar do detentor desta empresa ser accionista do FC Porto, Sporting, Belenenses e Sp. Braga. E nunca ninguém pôs em causa que as filmagens dos jogos destas equipas fossem manipuladas para as beneficiar”, justificou.

O dirigente esclareceu ainda que as imagens fornecidas pela Sport TV e Benfica TV não são os únicos meios audiovisuais de prova à disposição da Liga para eventuais processos sumaríssimos. “Está nos regulamentos da Liga que todos os jogos têm de ser filmados e isso mesmo consta do relatório dos jogos”, referiu, adiantando que também os próprios clubes filmam todos os jogos disputados em casa, tendo depois “obrigatoriamente” de entregar essas imagens à Liga.

“A Sport TV (e também a Benfica TV desde a presente temporada) não filma os jogos todos das competições profissionais. Para além das filmagens realizadas por estes canais, a própria Liga, até ao final ano passado, filmou os jogos [estas imagens, para além de constituírem elementos de prova para sumaríssimos, eram também usadas para serem analisadas por uma comissão de observação e classificação dos árbitros que, entretanto, foi extinta], mas como os clubes também o faziam isto foi considerado redundante. Actualmente, no final dos jogos, obrigamos os clubes a fornecerem as filmagens que fizeram de cada jogo, que também podem ser usadas para efeitos disciplinares. É tudo filmado em bruto sem cortes e sem edição”, precisou.