Álvaro Santos Pereira vai para a OCDE

Ex-ministro da Economia será o braço direito do economista-chefe da organização, disse ao semanário Sol.

Foto
Santos Pereira foi tido várias vezes como remodelável ao longo dos dois anos como ministro Miguel Manso

Santos Pereira foi escolhido por concurso e, a partir de Abril, será o braço direito do economista-chefe da instituição. “É um lugar equivalente a deputy chief economist”, disse ao mesmo jornal.

Santos Pereira concorreu ao lugar em Agosto, o mês imediatamente a seguir à remodelação governamental que ditou a sua saída do Governo, para ser substituído pelo centrista António Pires de Lima, que então assumiu a liderança do ministério, mas já sem a pasta do emprego e a energia.

Como terá de coordenar a avaliação das políticas dos ministérios da Economia dos vários países da OCDE, essa responsabilidade deverá caber a outro responsável da OCDE no caso do Governo português, explicou ao Sol. “Há regras por causa de conflitos de interesse e provavelmente não serei eu a avaliar as políticas do Ministério da Economia português, porque fui eu que as fiz.”

O PÚBLICO contactou o gabinete de imprensa da OCDE, mas não obteve resposta até ao momento de publicação desta notícia.

Ao longo dos dois anos como ministro, Santos Pereira foi tido várias vezes como remodelável, mas foi segurado no cargo pelo primeiro-ministro até à crise política de Julho, que acabou por resultar na remodelação governamental e na nova recomposição dos ministérios. Na Economia, Santos Pereira perdeu todos os secretários de Estado que tomaram posse em 2011, à excepção de Sérgio Monteiro (Transportes e Comunicações), que se mantém na equipa de Pires de Lima.

Até aterrar em Lisboa para liderar o ministério da Economia, Santos Pereira era professor na Universidade Simon Fraser, em Vancôver, no Canadá, estando actualmente em licença sabática.