Um, dois, três, quatro, cinco, seis tentáculos

Turistas afirmam ter visto no Portinho da Arrábida um polvo com apenas seis braços - uma rara curiosidade.

Apenas seis tentáculos? Especialistas dizem que é preciso  mais imagens para confirmar
Foto
Apenas seis tentáculos? Especialistas dizem que é preciso mais imagens para confirmar Sandi Horton Lafferty

Os turistas que o avistaram não têm dúvidas: o polvo tinha apenas seis tentáculos, e não oito. Se estiverem certos, o animal identificado nas águas do Portinho da Arrábida representa uma raridade vista pouquíssimas vezes, embora sem grande significado aparente para a ciência.

Foram os próprios turistas – um casal de norte-americanos que fazia um percurso a pé pela Arrábida, dois dias antes do fim do ano – que alertaram para a estranheza do molusco. Naquele instante, estavam a andar na praia, com a água pelos tornozelos. Viram dois polvos e um deles chamou-lhes a atenção.

“Eles sabiam que o que ali estava era um animal raro”, afirma Rui Barbosa, guia da empresa de turismo Around Lisbon, que estava a acompanhar os norte-americanos no passeio. Estiveram a olhar para o polvo durante alguns minutos. E só viram seis tentáculos. “De certeza absoluta”, diz Rui Barbosa.

A única foto disponibilizada pelo casal mostra o animal sobre as pedras, com seis braços visíveis. Especialistas ouvidos pelo PÚBLICO dizem que seria preciso ver mais imagens para uma confirmação cabal.

Polvos com menos braços não são invulgares. Mas são sobretudo animais mutilados por predadores, como moreias ou robalos.

João Gonçalves, do Departamento de Oceanografia da Universidade dos Açores, explica que um número menor de tentáculos – sem que haja nenhum sinal de mutilação – pode ser apenas uma anomalia genética.

Se nasceu mesmo com seis tentáculos, o animal visto no mar da Arrábida representa assim um mero acaso. “Parece ser um polvo comum”, diz João Gonçalves, referindo-se à espécie Octopus vulgaris. “Há outras anomalias mais comuns, como a ramificação de braços”, afirma.

Seis tentáculos à nascença é algo bem mais raro. Há pelo menos dois casos conhecidos. Em 2008, cientistas britânicos encontraram um exemplar numa armadilha para lagostas, na costa do País de Gales. O molusco foi para um oceanário, para ser exibido e estudado.

Mais recentemente, em Julho do ano passado, uma família de turistas também capturou um polvo de seis tentáculos na Grécia. Mas neste caso, o bicho teve um fim diferente: foi fotografado, grelhado e comido.