Crítica

Eficiência é a palavra

Pequenos Crimes Entre Amigos é um álbum de hip hop que recua às suas origens soul e funk, algo evidente logo a início, quando ouvimos samplada a voz de Gloria Jones, cantora original de Tainted love. Nesse sentido, é um disco totalmente coerente, o que não deixa de surpreender dada a quantidade e diversidade de convidados (de Rui Veloso a Zé Pedro, de Marcelo Camelo a Manuela Azevedo, de Cruzfader a Sam the Kid, de Nu Max ao pai de Sensi, Kalu). Mas Sensi mostra saber exactamente o que quer: metais ao alto, baixo a gingar como se exige, uma guitarra wah-wah aqui e ali e o scratch a surgipara acrescentrar groove ao groove. 

As palavras são certamente importantes, mas a música sobrepõe-se-lhes: veja-se o cuidado posto na criação de refrães que empolguem e em ritmo que ponha em movimento ancas alheias. Enquanto funk lúdico, nu-soul dando conta do correr dos dias e das ansiedades que ele hoje traz, Pequenos Crimes Entre Amigos é um álbum que cumpre na perfeição.

Não dá para fugir, com Rui Veloso no refrão, tem balanço acid-jazz e um refrão que recebemos como clássico de longa data, Nunca é tarde recorda-nos quão entusiasmante foi a aparição em cena dos Cool Hipnoise na década de 1990, Introspecção, com Manuela Azevedo e guitarra slide de Franie Chavez, perde em ritmo o que ganha em elegância e é um dos destaques do álbum (para pôr ao lado de Estranho caso de sol, com Marcelo Camelo).

Sensi fala da dificuldade de chegar ao fim do mês, da luta como inevitabilidade no lufa-lufa do quotidiano, da corrida sôfrega que é o viver actual, dos sonhos que tem para sua música. Fá-lo em rimas simples e directas, mais conversa de si para si que exaltação da comunidade. A exaltação faz-se através da música, bem conduzida pelos músicos supracitados e pela miríade de outros que o acompanham (membros de Orelha Negra, da banda de Pedro Abrunhosa, da Real Orquestra das Caveiras dos Dead Combo).

Pequenos Crimes Entre Amigos tem um som orgânico e uma marcada noção de história. Sensi escolheu o calor dos clássicos e mostra talento para arrancar canções orelhudas a essa genealogia. O seu segundo álbum não é uma pedrada no charco. Não sobressalta nem parece ser essa a intenção. É sincero, eficiente e descontraído. Faz a festa enquanto Sensi põe cá fora as ansiedades que lhe assaltam o espírito.