O novo presidente da Organização das Cidades Património Mundial é Basílio Horta

Eleição decorreu na madrugada deste sábado na cidade do México.

Foto
PÚBLICO

O presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta, foi hoje eleito presidente da Organização das Cidades Património Mundial, organização que reúne os locais classificados pela Unesco, numa votação que decorreu esta madrugada na cidade do México.

A votação decorreu durante o XII congresso desta entidade, que não contou com a presença do autarca, que foi eleito presidente até 2015.

Trata-se de uma "grande projecção para Sintra", declara o autarca eleito pelo PS. "Sintra estará na primeira linha das iniciativas que a associação vai produzir. E há a possibilidade de grandes contactos. Permite a promoção de Sintra, especialmente no sector turístico. É esta abertura ao mundo de que falei na campanha [eleitoral]", disse.

Basílio Horta venceu uma votação à qual concorriam os autarcas de Bruxelas (Bélgica), Lyon (França), Puebla (México), Quebec (Canadá), Safranbolu(Turquia), Valparaíso (Chile) e Varsóvia (Polónia). Segundo o autarca, durante o XII congresso, as cidades Património Mundial da Unesco votaram ainda na cidade espanhola de Córdova para a realização do congresso de 2015.

Fundada em 1993, a Organização das Cidades Património Mundial (OCPM) reúne as 254 cidades com locais inscritos na lista do Património Mundial da UNESCO.

Dentro desta organização não-governamental, estas cidades são representadas pelos presidentes das respectivas autarquias, contando também com a participação de especialistas em gestão do património. Desde 1993 que a organização promove, de dois em dois anos, um congresso mundial para debater ideias sobre a gestão e reabilitação de Cidades Património Mundial, num intercâmbio de conhecimentos e de discussão de questões de interesse mútuo às várias cidades e respectivos intervenientes.

A OCPM tem como associadas entidades como o Centro de Património Mundial da UNESCO, o Conselho da Europa, o Getty Conservation Institute, o ICOMOS, o ICCROM e o World Monuments Fund.

Além de Sintra, Coimbra, Porto, Évora, Elvas, Guimarães e Angra do Heroísmo, são os locais portugueses que fazem parte da organização.